terça-feira, julho 14, 2020
Início Site

Pará tem queda de 45% nos casos de malária no primeiro semestre de 2020, aponta Sespa

0

80% dos registros ocorreram nos municípios de Anajás, Itaituba, Jacareacanga, Bagre, Alenquer, Oeiras do Pará, Altamira e Cametá

De janeiro a junho de 2020 foram registrados 8.355 casos de malária no Pará, segundo balanço divulgado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sespa). O número é 45% menor do que o registrado no mesmo período de 2019, quando houve 15.107 casos.

De acordo com a Sespa, 80% dos registros ocorreram nos seguintes municípios: Anajás (1.702), Itaituba (1.444), Jacareacanga (979), Bagre (782), Alenquer (694), Oeiras do Pará (610), Altamira (358) e Cametá (349).

A região do Baixo Tocantins reduziu os casos de malária em 81%; o Lago de Tucuruí em 95%; o Marajó em 50% e a Região do Capim teve redução de 84%.

Mas, também houve aumento de 32% na Região do Tapajós, de 40% na Região do Xingu e de 300% na Região de Carajás, sendo que foram oito casos confirmados neste semestre e apenas dois casos no mesmo período de 2019. Já a Região Metropolitana não apresentou casos de malária que se originaram na mesma região.

Em relação às áreas prováveis de infecção, houve redução de 72,8% na área urbana e de 58,5% na área rural. No entanto, houve aumento de 17,8% na transmissão em regiões de garimpo e de 46,7% nos territórios indígenas.

“Apesar da pandemia de Covid-19 neste primeiro semestre, as Secretarias Municipais de Saúde conseguiram trabalhar para manter a redução no número de casos da doença”, disse Cláudio Cardoso, coordenador estadual do Programa de Controle da Malária.

Malária

É uma doença causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles (mosquito prego), que aparecem principalmente ao entardecer e ao amanhecer. A malária tem cura e o tratamento é gratuito no Sistema Único de Saúde (SUS).

Os sintomas mais comuns da malária são febre alta, calafrios, tremores, sudorese, dor de cabeça, que podem ocorrer de forma cíclica. Muitas pessoas, antes de apresentarem essas manifestações mais características, sentem náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite. A doença pode evoluir para suas formas graves se não for diagnosticada e tratada de forma oportuna e adequada.

Fonte: G1 Pará - Foto: Getty Images

Marabá recebe respirador doado pelo Vaticano para o tratamento de indígenas com a Covid-19

0

O aparelho foi recebido pelo bispo diocesano do município, em uma cerimônia especial. Respirador enviado a Marabá foi um dos quatro que o Papa Francisco doou ao Brasil

O Hospital de Campanha de Marabá, no sudeste do Pará, recebeu no último domingo (12) um respirador doado pelo Vaticano que vai ajudar no tratamento de pacientes com a Covid-19 internados na unidade. O aparelho foi recebido pelo bispo diocesano do município em uma cerimônia especial. De acordo com a direção do hospital, o respirador será destinado ao tratamento de indígenas infectados com a doença.

O respirador enviado a Marabá foi um dos quatro que o Papa Francisco doou ao Brasil, para auxiliar o combate ao novo coronavírus no país. Segundo a Esmolaria Apostólica, órgão do Vaticano responsável por doações, o ato do papa “expressa sua proximidade com os países afetados pela pandemia”. Além do Brasil, receberam respiradores o Haiti, Venezuela, Colômbia, Honduras, México, República Dominicana, Bolívia, Equador, Camarões, Bangladesh, Ucrânia e Zimbábue.

De acordo com o bispo diocesano de Marabá, Dom Vital Corbellini, o aparelho será destinado aos povos indígenas. O hospital, que tem capacidade para 120 leitos, possui apenas 10 reservados para o atendimento de indígenas.

“Os direitos dos povos indígenas são, muitas vezes, violados. O Governo não está dando a atenção necessária a esses povos. É preciso olhar com carinho para eles, pra que possam viver bem. Recebemos esse aparelho que vai ajudar a salvar a vida de muitas pessoas”, relata o bispo

Segundo o coordenador do Hospital de Campanha, há dois indígenas com Covid-19 internados na unidade. No entanto, o hospital afirma que a movimentação de pacientes indígenas na unidade vem aumentando.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Pará (Sespa), a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais regionais de Marabá chegou a 91%. Já a taxa de ocupação de leitos clínicos é de 71%.

Fonte: G1 - Fotos:  Foto: Andrew Medichin

 

90 concursos com inscrições abertas reúnem 10,4 mil vagas no país

0

Cargos são de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 19.199,06 no Instituto Rio Branco

Pelo menos 90 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (13) e reúnem 10,4 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 19.199,06 no Instituto Rio Branco.

Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Entre os principais concursos federais abertos estão:

Nesta segunda-feira, pelo menos 6 órgãos abrem o prazo de inscrições para 532 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 11.953,18 na Prefeitura de Monte Santo de Minas (MG). Veja abaixo as informações de cada concurso:

Câmara Municipal de Marumbi (PR)

  • Inscrições: até 11/08/2020
  • 1 vaga
  • Salários de até R$ 3.311,08
  • Cargo de nível superior
  • Veja o edital

Escola de Saúde Pública do Ceará

  • Inscrições: até 23/07/2020
  • 3 vagas
  • Salários de até R$ 3.993,00
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital
  • Inscrições: até 13/08/2020
  • 2 vagas
  • Salários de até R$ 7.579,28
  • Cargos de nível superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Monte Santo de Minas (MG)

  • Inscrições: até 14/08/2020
  • 477vagas
  • Salários de até R$ 11.953,18
  • Cargos de nível fundamental, médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Monte Santo de Minas (MG)

  • Inscrições: até 14/08/2020
  • 36 vagas
  • Salários de até R$ 1.400,00
  • Cargos de nível médio
  • Veja o edital

Prefeitura de Presidente Kennedy (ES)

  • Inscrições: até 17/07/2020
  • 10 vagas
  • Salários de até R$ 2.389,43
  • Cargos de nível médio e superior
  • Veja o edital

Prefeitura de Santa Luzia D’Oeste (RO)

  • Inscrições: até 20/07/2020
  • 3 vagas
  • Salários de até R$ 1.200,00
  • Cargos de nível superior
  • Veja edital
Fonte: G1 - Fotos: Internet

TRAFICO DE DROGAS

0

A Policia Militar realiza uma grande apreensão de drogas e armas em Itaituba Sudoeste do Pará

A prisão das pessoas acusadas de tráfico de drogas aconteceu por volta das 22:00 horas, pela ROCAM, juntamente com serviço de polícia reservado, polícia civil e o comandante da 2° companhia ao fazer abordagem em uma pessoa identificado por Gustavo Ferreira do Nascimento, que transitava na Avenida Hugo de Mendonça.

Durante a abordagem, o homem informou que na residência localizada na avenida 15 de agosto tinha entorpecentes tipo maconha, ao chegar no local foi encontrado por vários lugares da referida casa 26 papelotes de entorpecente aparentemente skank, pesando aproximadamente 19 gramas, também 7 papelotes aparentemente ser cocaína, pesando 06 gramas e 05 celulares.

A Guarnição, ao entrar na casa uma mulher identificada por Shirley Tatiane dos santos, que estava na residência, tentou se desfazer da droga jogando uma parte no vaso sanitário.

Mas não parou por aí a polícia em uma conversa particular com Gustavo, ele acabou informando que teria uma outra casa, na primeira rua do bairro Bela Vista, teria mais cocaína e outras duas outras pessoas vindas de Altamira recentemente mais duas armas.

Feita as revistas na outra casa, foi encontrado no imóvel Ângelo Soares de Brito que tentou fugir do local, logo em seguida foi capturado.

Com ele foi encontrado 1 tablete de substância aparentando ser cocaína, pesando aproximadamente 1 kg e 210 gramas, 4 pedras aparentemente ser cocaína pesando 400 gramas, também uma 01 Pistola Belga Calibre 9 MM, cor preta, N T297095, 1 carregador e 15 munições 9 MM intactas.

Encontrou-se também 01 Pistola marca Taurus, calibre .40, cor preta, sem numeração aparente, 1 carregador e 10 munições .40.

O material encontrado e os acusados foram conduzidos para 19 seccional para providências cabíveis. Conforme boletim de ocorrência: 00062/2020.101670-5

Uma motocicleta: fan vinho, placa NTB 2654. 1 carro etios prata, placa QBE 4700 Também estavam com os acusados e foram apresentados.

 

Por: Ramilso Santos / Jornalista MTE 000512/RR

Foto: Policia Militar

Piora estado de saúde do médico e ex prefeito de Itaituba Edilson Botelho

0

“Estamos esgotados de tanta aflição, ele precisa reagir nessas próximas 48 horas, toda família está triste aqui sem ação”. Disse um membro da família

 

O médico e ex prefeito de Itaituba Edilson Dias Botelho está internado desde o dia primeiro de junho, quando apresentou um agravamento em seu quadro clínico por complicações causadas pela Covid-19.

Botelho foi, primeiramente, internado no hospital Abelardo Santos em Belém e no dia dois de julho o mesmo foi transferido novamente, dessa vez, para o Hospital Barros Barreto.

Um cálculo renal impulsionou a mudança de tratamento e foi necessário iniciar a realização de hemodiálise.

Além de ter contraído coronavírus, Botelho sofre de diabetes e hipertensão.

O médico apresentou um quadro estável desde o último boletim, mas na noite de quinta-feira (09), ele apresentou uma alteração e precisou fazer uma tomografia, porém, devido a um sangramento na cabeça, o procedimento não foi realizado.

Segundo Hataynara Almeida, afilhada de Edilson, os médicos estão tentando conter o sangramento e estabilizar o quadro. “Estamos esgotados de tanta aflição, ele precisa reagir nessas próximas 48 horas, toda família está triste aqui sem ação”.

Hataynara pediu orações nesse momento. “Continuem em oração por ele, pois somente Deus pode reverter essa situação”.

Fonte: On News

Orçado em 12,7 bilhões, projeto de construção da Ferrogrão tem concessão aprovada ANTT

0

A ferrovia vai escoar a produção agropecuária do Centro-Oeste através do trecho entre os municípios de Sinop (MT) e Itaituba (PA).

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou o Plano de Outorga, acompanhado dos estudos técnicos e das minutas de edital e de contrato, que visam a concessão para a construção e prestação do serviço público de transporte ferroviário de cargas associado à exploração da infraestrutura ferroviária, no trecho compreendido entre os municípios de Sinop, no Mato Grosso, e  Itaituba, no Pará (Ferrogrão).

A ANTT encaminhou, na última quarta-feira (8), os referidos documentos para análise do Ministério da Infraestrutura (Minfra). A deliberação foi publicada no Diário Oficial da União na terça-feira (7).

O projeto propõe-se a ser o novo corredor logístico do país, que relaciona o desenvolvimento da fronteira agrícola brasileira à demanda por uma infraestrutura integrada de transportes de carga, produzindo benefícios socioeconômicos de alto impacto entre os municípios do Pará e Mato Grosso. A produção de soja e milho são os destaques da região.

Com previsão de investimentos de R$ 12,7 bilhões, a ferrovia vai beneficiar a produção agropecuária do Estado do Mato Grosso e de todo o Centro-Oeste do país, pois deverá reduzir em 30% o custo de escoamento da produção, sendo transportada até  Itaituba e de lá para o porto de Vila do Conde, em Barcarena, onde os produtos serão exportados para o exterior.

O projeto completo prevê que a ferrovia deve ligar o município de Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá (MT), ao porto de Mirittituba, em Itaituba, no Pará. Com a extensão completa, a ferrogrão deverá chegar a 1.180 km de extensão.

Previsão é que a ferrovia vai impactar terras indígenas no território paraense

Uma prioridade do governo Bolsonaro, o projeto da ferrovia ferrogrão é um empreendimento bilionário, reivindicado pelos empresários do agronegócio há décadas para escoar a produção de soja, gado e outros grãos produzidos no centro-oeste brasileiro.

Porém, a previsão é que obra fará fronteira com duas terras indígenas já demarcadas, onde se localizam as aldeias Kayapós: a Baú e a Menkragnoti, na região do Xingu, no Sudoeste paraense.

Fonte: Roma News – Foto: (Divulgação/ANTT)

Renato Aragão: “Eu queria ter o meu programa, não estar no dos outros”

0

Nessa entrevista, o humorista mais famoso do Brasil conta que tem um novo filme para fazer e que não gostou da versão moderna dos Trapalhões

Não dá mesmo para passar batido quando alguém como Renato Aragão deixa a Globo. Ele foi funcionário do canal por mais de 40 anos e marcou gerações com seu trabalho, principalmente com Os Trapalhões. Esse fim de fase profissional para o comediante de 85 anos é, segundo ele próprio, o início de um outro momento na carreira. Com a oportunidade de trabalhar em novos lugares, Renato diz que tem muitas ideias de programas, filmes e escreve sem parar seus próximos projetos.

Conversei há alguns dias com ele, que falou um pouco sobre a saída da Globo, sobre o próximo longa-metragem para cinema, contou também que não gostou da nova versão dos Trapalhões e o que pretende fazer daqui para frente. Acompanhe:

SAÍDA DA GLOBO

Para falar sobre o fim de contrato com a Globo, Renato e sua mulher Lílian Taranto são muito diplomáticos e procuram mostrar que não há um fim de relacionamento com o canal, mas sim uma mudança nos termos de trabalho. “Eu não fui demitido, como estão falando. Eu não saí da Globo. Acabou o meu contrato. Foi um acordo e não houve renovação. Na verdade, eu fiquei na Globo, só que agora fazendo trabalhos pontuais e também posso aparecer em outras emissoras”, conta Renato.

Lilian procura ir pelo mesmo caminho: “Não tem como o Renato sair da Globo e nem a Globo sair do Renato. Ele vai trabalhar pontualmente. Mas agora ele está liberado para participar em programas de outros canais”.

Por falar em “trabalhos pontuais”, isso é o que o comediante vinha fazendo nos últimos anos no canal. Depois de A Turma do Didi, série regular que durou de 1998 a 2010, Renato fez alguns especiais, telefilmes e séries curtas na Globo. Sua última aparição na emissora foi uma participação o humorístico Tá no Ar: A TV na TV, em 2018.

Divulgação

Sem um programa fixo, não é segredo para ninguém, o humorista permaneceu contratado do canal, afinal sempre foi um dos medalhões, daqueles no mesmo nível de Tarcísio Meira, Tony Ramos e Fernanda Montenegro. Renato revela que, mesmo estando na chamada “geladeira” da emissora, tinha e apresentou projetos de programas para seus chefes: “Tenho muitas ideias de programas e apresentei vários para a Globo, mas ficaram na fila. A Globo tinha muitos outros programas para fazer. Então, não adianta muito. Tenho muitos outros programas para fazer, você nem sabe”, explica. Lilian reforça: “Todos os projetos que apareciam para a Globo eram analisados e não tinha como fazer os do Renato. Ele ficou esperando, entregou projetos e a Globo disse ‘calma aí. Vamos ver’”.

Aparecer em outros programas da Globo, como convidado, é algo que foi descartado pelo comediante, que disse recentemente que gostaria de fazer uma participação em A Praça É Nossa, do SBT. “Eu queria fazer o meu programa, não queria estar no programa dos outros. Queria o meu programa. Sempre chamam o Renato pra tudo, mas eu não queria. Eles sabiam que eu queria o meu programa”.

Agora, com a não renovação do contrato, Renato tem a oportunidade de fazer os programas que tem em mente em outros lugares. “Como não aceitaram meus projetos, vou fazer em outros lugares. Mas a Globo disse para não deixar de fazer com eles também”.

Sobre possíveis parecerias com outros canais tradicionais de TV ou plataformas de streaming e de internet, como o Youtube, por exemplo, Renato e Lilian não falam. Mas o trapalhão já vem fazendo vídeos no Instagram e, recentemente, criou um perfil no Twitter. “Estou interessado nas plataformas digitais, elas são muito atraentes e vou realizar projetos com essa turma toda que está me querendo. Ainda não posso falar sobre os projetos, mas estamos namorando [com outras empresas, como as de streaming]. Nós vamos produzir tudo com as nossas empresas. O importante é que estamos bem quistos”.

Renato conta também que ainda não tem planos para a criação de um canal no Youtube. Lilian revela que seu marido “está brincado de internet, entendendo, estudando as plataformas e escrevendo para streaming. Ele quer dar o tiro certo e não arriscar. Mas agora ele está liberado para o Youtube também, coisa que não estava antes. Estamos abertos a propostas”.

TRAPALHÕES

É um dos programas de TV do Brasil mais famosos de todos os tempos, tanto é que a Globo até fez uma nova versão em 2017 com novos atores e a participação de Renato e Dedé Santana. Não deu muito certo e ficou apenas na primeira temporada mesmo. Muita gente não gostou e Aragão mesmo não é muito fã. “A nova versão dos Trapalhões não era o que eu queria. Não dá para substituir os Trapalhões e não dá para trocar os outros dois [Mussum e Zacarias, já mortos]”.

Nessa versão moderninha, jovens atores interpretaram os sobrinhos dos Trapalhões originais, e cada um deles era extremamente parecido com os originais. Renato também comentou isso: “Essa versão ficou meio confusa, por isso não gostei. Não se pode substituir pessoas. Tem que usar outro nome, outras coisas. Não pode fazer isso. Ficou um negócio em dúvida, mas eu fui fazendo”. Lilian volta à conversa e dá seu pitaco: “O Renato fez [o novo Trapalhões] porque era um projeto da Globo, mas o Renato avisou, porque os meninos foram substituídos e não pode fazer isso. Não teve continuação porque a nova geração não aprovou, não. Preferem ver o Didi e o Dedé”.

Renato ou Didi?

Renato ou Didi?

Folhapress/Folhapress

Nessa nova fase, pós-Globo, estaria inclusa uma possível volta dos Trapalhões, ainda que apenas com Didi e Dedé? Existe a possibilidade de usar esse mesmo nome? “Posso usar o nome dos Trapalhões. Se eu fizer, o Dedé estará comigo onde eu estiver. Somos uma dupla maravilhosa. Todos os meus projetos o Dedé sempre estará incluído. Talvez eu possa usar [o nome dos Tapalhões] se aparecer uma coisa que precise. Mas também posso não usar”. Se rolar um retorno da dupla, Renato diz que para atingir um novo público “teria que renovar, uma renovação. A sociedade avança, é outro estilo. Aliás, não tem piada velha, tem é piada boa”.

CINEMA

Renato também é um homem de cinema e já foi um dos reis das bilheterias brasileiras com seus mais de quarenta filmes lançados desde 1965, com A Pedra do Tesouro, até 2017 com Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo à Hollywood.

E vem mais longa-metragem por aí. “Tenho muita coisa na minha cabeça. O que está previsto é um filme chamado Didi Babá e os Quarenta Ladrões, com a Globo Filmes. A história mostra que o Didi é o babá de muitas crianças. Íamos filmar esse ano, mas com a pandemia tivemos que parar. O plano é retomar esse ano ou em 2021”.

Dentre esse monte de filmes, Renato não consegue eleger um que seja seu favorito: “Filme é como filho, não dá para escolher. Tem Os Saltimbancos Trapalhões, que deu muita bilheteria. O que deu mais bilheteria foi Os Trapalhões nas Minas do Rei Salomão”, conta o comediante.

Didi e Dedé, os eternos Trapalhões

Didi e Dedé, os eternos Trapalhões

Greg Salibian/Folhapress

E se você está entre aqueles que têm vontade de ver os longas do passado, com Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, pode ter a esperança de que isso irá acontecer em algum momento no futuro. Lilian conta que “temos todos os filmes remasterizados, prontos para lançar. Agora temos essa liberdade, já que antes estávamos presos à TV. E o Renato não ia passar por cima da Globo. Agora a gente pode colocar nas plataformas e em outras emissoras. São clássicos. Vamos colocar em streaming e esse também foi o intuito de mudar o contrato, pra gente ter mais liberdade. Tenho os filmes em 4k e tem plataformas interessadas neles, mas tudo parou por causa da quarentena. E o Renato não para de escrever, na cabeça, no computador. Ele tem N projetos”.

DOUTOR RENATO

Uma história que incomoda muito ainda Renato e sua família é uma que chegou à mídia há alguns anos em que o humorista foi acusado de arrogante por um suposto motorista. Essa pessoa, que nunca foi encontrada, teria dito que o humorista exigiu ser chamado de “Doutor Renato”.

Isso incomoda tanto a família que o assunto foi trazido à conversa por Lilian. A mulher de Renato pediu ajuda para desmentir essa espécie de fofoca que circula pela internet e redes sociais já há alguns anos. “O Renato nunca falou para ser chamado de Doutor Renato ou Doutor Didi. Nunca fez questão disso. Ele gosta de ser chamado de Didi ou de Renato. Ele sempre esteve perto do público, não tem essa história”. Lenda urbana desmentida, mesmo porque realmente não há comprovação da existência desse tal motorista.

Mas com lenda ou sem lenda, Renato Aragão, Didi Mocó ou o eterno trapalhão está à solta por aí. Sem contrato fixo com a Globo, dá para apostar que o veremos em ação com uma frequência muito maior do que nos últimos anos. Ele saiu da geladeira. Agora é só botar pra quebrar, ô psit!

Fonte: R7 - Fotos: Daniel Marenco/Folhapress / Greg Salibian/Folhapress

Inscrições abertas para mesa-redonda online sobre educação e realidade amazônica

0

A atividade é realizada em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Educação da Ufopa (PPGE) e Grupo de Estudos e Pesquisas ‘História, Sociedade e Educação no Brasil’.

Interessados em participar da mesa-redonda “Educação e realidade amazônica: biodiversidade e culturas”, que será transmitida dia 14 de julho, às 17h, pelo Instituto de Ciências da Educação (Iced) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), pelo canal do Iced no YouTube, podem se inscrever para o evento em formulário on-line.

A atividade é realizada em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Educação da Ufopa (PPGE) e Grupo de Estudos e Pesquisas “História, Sociedade e Educação no Brasil” (HISTEDBR).

Segundo o Iced, durante a live, os participantes deverão confirmar a presença por meio de outro formulário para garantir o certificado de participação.

Fonte: G1 - Foto: Internet

Ações contra desmatamento começaram tarde, diz Mourão sobre aumento de alertas na Amazônia

0

Região bateu recorde de alertas de desmatamento em junho, segundo o Inpe. Para Mourão, ações deveriam ter começado em dezembro.

O vice-presidente Hamilton Mourão, que comanda o Conselho da Amazônia, afirmou nesta sexta-feira (10) que o recorde de alerta de desmatamento na região no mês de junho ocorreu porque as ações do governo federal começaram “tarde”.

Mourão comentou dados divulgado nesta sexta pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) do órgão registrou recorde nos alertas de desmatamento em junho.

A Amazônia registrou 1.034,4 km² de área sob alerta de desmatamento em junho, recorde para o mês em toda a série história iniciada em 2015. No acumulado do semestre, os alertas indicam devastação em 3.069,57 km² da Amazônia, aumento de 25% em comparação ao primeiro semestre de 2019.

Segundo Mourão, no caso do desmatamento, o ideal seria ter iniciado a Operação Verde Brasil em dezembro do ano passado.

O governo federal anunciou uma primeira versão da operação em agosto no ano passado, como resposta à alta das queimadas. As ações duraram 60 dias. Porém, após criar o Conselho da Amazônia em fevereiro de 2020, o governo anunciou, em maio, a Operação Verde Brasil 2.

As ações de prevenção e repressão a crimes ambientais ainda estão em andamento e são executadas por militares das Forças Armadas. A operação foca no combate ao desmatamento ilegal e a incêndios.

“Um dos primeiros itens é o combate ao desmatamento, que nós viemos efetuando desde maio. Eu já coloquei para vocês várias vezes que as ações contra o desmatamento tinham que ter começado em dezembro do ano passado, que é quando ele começa efetivamente. Tenho colocado que nós vamos prosseguir nesse tipo de trabalho até o final de 2022, ou até a turma que desmata se dê conta que não dá mais para fazer isso”, declarou.

Perguntado sobre se acredita que os dados divulgados pelo Inpe não foram bons em razão do início tardio das ações, o vice-presidente disse que sim.

“Porque começou tarde. Lógico, começou tarde. O começo em maio vai nos dar uma situação, vamos dizer assim, uma melhor em relação às queimadas, mas não ao desmatamento”, declarou.

Nesta sexta, o governo publicou no “Diário Oficial da União” decreto prorrogando até 6 de novembro o emprego da presença das Forças Armadas na Amazônia Legal.

Falta de fiscalização

O vice-presidente disse ser preciso encontrar uma solução para a falta de servidores destinados à fiscalização ambiental.

Segundo ele, é necessário “tirar a turma que tá no serviço administrativo, no ar-condicionado, e colocar no meio da selva”, onde existe excesso de pessoal segundo Mourão, ou contratar mais fiscais.

O vice-presidente também questionou a razão de não ser possível fazer a mudança de função dos servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Um faz concurso para fiscal, o outro faz concurso para agente administrativo. Porque, em determinado momento, não posso chamar os agentes administrativos que estão em excesso e dizer ‘olha aqui, vamos passar para o lado da fiscalização’?”, afirmou o vice.

Segundo Mourão, o Ibama tem 300 fiscais espalhados pelo Brasil. O vice-presidente considera a quantidade de servidores insuficiente.

“Como você vai operar com 300 fiscais? E esses 300, vamos colocar o seguinte, não estão [todos] na Amazônia. Vamos lembrar que tem o cara que está em Abrolhos, tem o cara que está no Parque Aparados da Serra, lá no Sul, outro está lá em Foz do Iguaçu”, declarou.

Pressão de investidores

À frente do Conselho da Amazônia, Mourão tem realizado uma série de reuniões em resposta à pressão de investidores para diminuir o desmatamento na Amazônia. As conversas são um esforço para apresentar as ações do governo federal e tentar evitar a perda de investimentos no país.

Mourão participa na tarde desta sexta de uma videoconferência com representantes do setor empresarial no Brasil. Nesta semana, o grupo enviou ao vice-presidente uma carta registrando a preocupação com as altas do desmatamento e das queimadas na Amazônia.

De acordo com Mourão, ele apresentará aos empresários ações do governo e discutirá o apoio dos empresário.

Mais cedo, também nesta sexta, Mourão teve uma videoconferência com a a associação Pan-Amazônia, na qual discutiu projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável na região.

Na quinta-feira (9), Mourão e ministros tiveram videoconferência com fundos internacionais. Os investidores citaram que acompanharão cinco pontos da política ambiental do Brasil, como desmatamento, incêndios e acesso à dados.

Após a videoconferência, os fundos internacionais divulgaram notas afirmando que acompanharão os resultados do Brasil na preservação ambiental.

O chefe do fundo Storebrand, Jan Erik Saugestad, afirmou na nota que os fundos apresentaram ao governo brasileiro cinco pontos considerados importantes para avaliar a política ambiental brasileira:

  • redução significativa nas taxas de desmatamento;
  • aplicação do Código Florestal;
  • prevenção de incêndios nas áreas florestais, ou nas proximidades, a fim de evitar a repetição do que ocorreu em 2019;
  • acesso público a dados sobre desmatamento, cobertura florestal, posse e rastreabilidade das terras que produzem commodities; e
  • eficiência dos órgãos de fiscalização brasileiros para fazer cumprir a legislação ambiental e de direitos humanos.
Fonte: G1 - Foto: Internet

MANDADO DE PRISÃO CUMPRIDO

0

Homem acusado de estupro em Goianésia-Pa foi preso pela Policia Militar

A prisão aconteceu na manhã desta sexta-feira (10) no Município de Itaituba Cidade Sudoeste do Estado do Pará, identificado como Valdinho Correia de Camargo acusado de estupro o Mandado de Prisão Penal Preventiva foi expedido Juiz de Direito Dr. Diego Bortoloni Desperati da Vara Única da Cidade de Goianésia Oeste do Pará.

A policia Militar chegou até Valdinho através de denuncia pelo número 181.

“Ele estava foragido acusado de estupro da cidade de Goianésia as informações daquela cidade é que ele tinha estuprado as enteadas em seguida teria fugido após os familiares tomarem conhecido do fato desde o ano de 2016, fomos informados de que ele teria fixado residência próximo ao Município de Itaituba mais precisamente na comunidade de Pedra Branca desde aí montamos uma linha de investigação para encontrar este fora da lei” Disse o Tenente da Policia Militar Marcio Alves.

Informou ainda o Tenente sobre a importância da população sobre denunciar.

“Chegamos até o acusado através das informações isso é muito importante a participação das pessoas denunciarem esse tipo de pessoa para que possamos tirar do convívio social, surpreendemos ele de surpresa no local onde o encontramos havia policiais à paisana que fizeram a abordagem logo em seguida chegamos com a guarnição e a viatura caracterizada e efetuamos a prisão e trouxemos para a Décima Nona Seccional de Policia Civil” Disse…

“Contamos muito com a colaboração da população para fazer a denúncia através do telefone 181 e também via WhatssApp (91) 98115-9181 estamos com um trabalho especifico neste sentido de averiguações em loco eu pessoalmente irei juntamente com minha equipe para prender estas pessoas, temos aí a Polícia Comunitária que é esta aproximação com a comunidade, tanto Policia Militar quanto Policia Civil então essa interação com os cidadãos de bem é extremamente importante para tirar estas pessoas da sociedade” Enfatizou o Tenente Marcio.

Por: Ramilso Santos / Jornalista-MTE 000512/RR

Fotos: Policia Militar

Qual sua opinião sobre reeleição?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Holler Box