Governador do Acre pede ajuda e fala sobre crise

0
84

Em entrevista, o governador Gladson Cameli, comparou a crise no estado do Acre com o recorde de enchentes, a pandemia de covid-19 e o surto de dengue a “Terceira Guerra Mundial” neste domingo, 21.

Na entrevista, Cameli afirmou que o Acre vive uma situação de calamidade humanitária em razão das enchentes, dengue, covid-19 e a crise migratória. “É uma situação delicada e peço ajuda de quem está acompanhado. Estamos vivenciando como se fosse uma Terceira Guerra Mundial. Aqui é um Estado pequeno, na região amazônica, fronteira com Peru, Bolívia e estados vizinhos. 92% da saúde do Acre é pública, é o SUS. Estamos vivenciando uma situação humanitária de calamidade, porque são vários problemas de uma vez só”, destacou Cameli.

As enchentes que começaram na última semana no Acre já são consideradas uma das situações mais graves da história do estado. Mais de 120 mil pessoas foram afetadas pelas cheias em 10 cidades, inclusive, a capital Rio Branco.

O governador também ressaltou a urgência com relação às questões orçamentárias e a vacinação, fazendo menção à nova cepa da covid-19 de Manaus, capital do estado vizinho Amazonas.

“Eu sempre trabalho com o pior cenário. Nós estamos no limite. Estamos ampliando o número de leitos, mas tudo está chegando ao limite. Na questão do custeio, só tenho recursos para os próximos 60 dias, para que a gente possa manter essa estrutura, tendo em vista que estamos ampliando o número na capital e no interior”, afirmou.

Em outro trecho, Cameli defendeu a imunização em massa da população do Acre. “Precisamos imunizar a população, inclusive, para proteger quem vive nos demais estados do Brasil. Qualquer quantidade de vacina ajuda bastante. Eu peço um olhar diferencial para nós do Acre”, afirmou.

Fonte: CNN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui