Pará deve receber 1,5 milhão de doses da vacina contra covid-19 até o final de março

0
81

Em visita ao Estado do Pará, mas precisamente no município de Santarém, oeste do estado, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que o estado irá receber 1,5 milhão de doses de vacina contra a covid-19 até o fim do mês de março.

“Vamos destinar 1,5 milhão de doses de vacina para o estado do Pará em lotes que serão entregues até o fim do mês de março. A vacina vai sendo distribuída à medida que o Ministério vai recebendo os lotes. A estratégia de vacinação já vem ocorrendo há quase 30 dias em todo o país. E um país colocar vacina simultaneamente em cerca de 5.500 municípios não é fácil, mas isso está sendo feito e é mérito também das gestões de estado e dos municípios”, disse Pazuello.

O ministro informou ainda que o Ministério da Saúde enfrenta problemas quanto a distribuição dos imunizantes, mas que em março isso deve ser contornado. “Em março, entramos na produção plena da Fiocruz, Butantan e das compras. A intenção é chegar em 40 milhões de doses. O Pará tem 4% da população do Brasil, com esse quantitativo de vacinas conseguiremos enviar 1,5 milhão para cá”.

Após o anúncio de Pazuello, com a chegada dos imunizantes a partir do dia 24 de fevereiro, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB) informou que em 45 dias a imunização pode chegar à toda população de até 60 anos e pessoas com comorbidades, além deficientes e quilombolas.

Vacinação no Pará

De acordo com o Plano Paraense de Vacinação de Covid-19, a prioridade da vacinação é  destinada a todos aqueles profissionais que atuem no atendimento de pacientes com Síndrome Gripal, seja em urgências, enfermarias ou unidades de tratamento intensivo.

O Plano Paraense inclui funcionários que não atuem diretamente na assistência, mas frequentem tais ambientes, como auxiliares de serviços gerais, copeiros, administrativos, entre outros.

Para pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência, a vacinação deverá ser realizada por meio de estratégias específicas a serem planejadas no nível municipal. E Indígenas aldeados (ou seja, que residam em áreas indígenas) com 18 anos ou mais atendidos pelo Subsistema de Atenção à Saúde Indígena, a vacinação será realizada em conformidade com a organização dos Distritos Sanitários Especiais Indígena (DSEI) nos diferentes municípios.

Fases da vacinação

1ª Fase: trabalhadores de Saúde; pessoas com mais de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

2ª Fase: profissionais da Segurança Pública na ativa; idosos a partir de 60 anos de idade; e povos e comunidades tradicionais quilombolas.

3ª Fase: pessoas com comorbidades (doenças como diabetes, hipertensão e obesidade).

4ª Fase: trabalhadores da Educação; Forças Armadas; funcionários do sistema penitenciário; população privada de liberdade e pessoas com deficiência permanente severa.

Fonte: Agência Pará

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui