Quatro regiões do estado serão as mais castigadas pelas chuvas em fevereiro

0
95

Tempo nublado e chuvas acima da média climatológica farão parte do dia a dia de algumas regiões do Estado em fevereiro, aponta levantamento feito pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). No Baixo Tocantins (Abaetetuba, Barcarena e Cametá), parte da Transamazônica (Medicilândia, Pacajá e Uruará), Baixo Amazonas (Santarém, Mojuí dos Campos) e Calha Norte (Óbidos, Oriximiná), as precipitações devem ser entre 350mm e 500mm, o que representa aumento da média das chuvas em fevereiro.

Já o Nordeste do Pará, Norte da ilha do Marajó e porção Sul do Estado terão chuvas dentro da média (entre 250 a 400mm). Municípios da região dos Carajás (Parauapebas, Marabá) até o Tapajós (Itaituba, Trairão e parte de Novo Progresso) apresentam chuvas abaixo da média neste mês. Segundo o coordenador de Hidrometereologia da Semas, Saulo Carvalho, na porção Sul do Estado, geralmente, as chuvas vão desde meados de outubro até o mês de abril, enquanto na porção Norte, o período chuvoso inicia um pouco mais tarde, no mês de dezembro até maio.

“De forma geral, as zonas de convergência Intertropical e Atlântico Sul são as principais responsáveis pelas chuvas no Pará, na porção Norte e Sul, respectivamente. Dependendo das interferências atmosféricas e oceânicas causadas nesses sistemas meteorológicos, a quantidade e intensidade das chuvas podem reduzir ou aumentar de um ano para o outro”, explicou o coordenador. Apesar da porção Norte do Pará estar apresentando chuvas mais regulares em fevereiro, é possível que eventos de chuvas mais severos, com rajadas de ventos e incidência de raios, aconteçam. Por isso, o coordenador da Semas alerta sobre alguns cuidados.

“Alertamos que, em caso de chuvas mais severas, as pessoas devem se abrigar em locais mais seguros e protegidos, desligar aparelhos eletrônicos da rede elétrica, assim como não usar o celular, enquanto está conectado na tomada, o que evita prejuízos materiais e, principalmente, preserva a saúde das pessoas”, afirmou Saulo Carvalho, coordenador da Semas. Para a Região Metropolitana de Belém, o especialista acrescentou que a atenção deve ser reforçada em dias que haja a combinação de maré alta com a ocorrência de chuvas. “Na porção Norte do Estado, estamos tendo chuvas acontecendo num curto intervalo de tempo. A previsão é que, ao longo da segunda quinzena de fevereiro, as chuvas sejam mais contínuas e o tempo fique mais encoberto”, afirmou.

Fonte: ORM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui