Chegou o dia: começa hoje campanha de vacinação contra a covid-19 no Pará

0
113

Crédito: Governo de São Paulo

Atrasou, mas chegou! Começa nesta terça-feira, 19, segundo o Governo do Estado, a imunização dos paraenses contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. O início da imunização será marcado por uma coletiva de imprensa realizada às 7h, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém.

O Estado chegou a anunciar que a vacinação com a CoronaVac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan (brasileiro), da chinesa Sinovac, começaria ontem, 18, porém, devido um atraso no voo que trazia as doses, o material só chegou em solo paraense, por volta das 23h30. Sendo assim, o início da campanha precisou ser adiado para a data de hoje. E, para dar o pontapé inicial da imunização, a primeira pessoa a receber, a primeira dose da CoronaVac na capital do estado, é profissional da saúde lotada no Hospital de Campanha do Hangar, mulher, negra e mãe de quatro filhos.

De acordo com o governo, o Pará recebeu ao todo 173.240 doses do imunizante, sendo, 48.680 destinadas para uso exclusivo da população indígena.

Plano de vacinação

Conforme divulgado através do plano de vacinação do governo do estado, nesta primeira fase da vacinação, serão contemplados: idosos acima de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência, profissionais da saúde e, indígenas aldeados.

Ainda segundo o plano, que tem como meta vacinar, pelo menos, 95% dos grupos prioritários, todos os 144 municípios iniciarão a vacinação contra a doença no mesmo dia.

Doses da primeira fase

A vacina será aplicada em duas doses, porém, o Governo não mencionou no plano, o intervalo de tempo entre uma dose e outra. Segundo a assessoria do governo, essas dúvidas deverão ser esclarecidas durante a coletiva de hoje.

Sobre a CoronaVac

A CoronaVac é um imunizante da chinesa Sinovac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. Segundo o Instituto, em termos de eficácia global, para todos os casos, a vacina atende 50,38%. Em outras palavras, uma pessoa que foi vacinada e é exposta ao vírus, tem o dobro de chances de contrair a covid-19, diferente de alguém que foi vacinado.

Quando se fala em eficácia contra sintomas da doença, a CoronaVac atingiu 78%. Ou seja, dos vacinados que tiveram a doença, 78% não precisaram de assistência médica.

Com relação a casos graves ou moderados da doença, a eficácia foi de 100%. Com isso, entre as pessoas vacinadas e infectadas, nenhuma precisou de internação hospitalar ou ficou em estado grave.

Contraindicações

De acordo com o item “5.1.2” do documento enviado pelo Estado, referente ao plano de vacinação, pessoas menores de 18 anos, gestantes, puerpérias, lactantes, pessoas que apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose anterior de vacina contra covid-19 e, pessoas que apresentaram reação anafilática confirmada a qualquer componente da(s) vacina(s), não podem ser vacinadas.

Outras fases

Na segunda fase, serão vacinados profissionais da Segurança Pública na Ativa, idosos de 60 a 79 anos de idade, idosos a partir de 80 anos, povos e comunidades tradicionais quilombola.

Na terceira fase, serão vacinados indivíduos que possuam comorbidades já descritas, de acordo com a faixa etária indicada pela Anvisa: Diabetes mellitus; hipertensão arterial sistêmica grave (de difícil controle e/ou com lesão de órgão-alvo); doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; imunossuprimidos; obesidade grave (IMC≥40).

As datas que deverão ocorrer as imunizações das fases 2 e 3 ainda não foram divulgadas pelo governo.

Último boletim sobre a covid no Pará

Desde o início da pandemia, o Pará já tem 311.063 casos confirmados, 7.427 óbitos e 289.203 pacientes já recuperados da doença.

Fonte: Romanews

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui