Em Itaituba, homem é preso suspeito de matar esposa e ‘forjar’ acidente para encobrir crime

0
216

Na tarde de sábado, 26, por volta de 15h30, uma equipe da Policia Civil da 19ª Seccional Urbana de Itaituba, deu cumprimento a mandado de prisão temporária, (30 dias), expedido pela justiça da comarca do município de Itaituba, com aval do Ministério Público, a pedido da PC em desfavor de HUDSON HENRIQUE DE JESUS FALCÃO, o qual está sendo investigado em um suposto FEMINICÍDIO ocorrido no dia 19, contra sua companheira ANA ELITA SOUSA NOGUEIRA.

“Trata-se de REPRESENTAÇÃO PELA PRISÃO TEMPORÁRIA formulada pela autoridade policial com atribuições nesta Seccional de Itaituba, em desfavor de HUDSON HENRIQUE DE JESUS FALCÃO, todo qualificado na representação da Autoridade Policial, ( ID. nº. 22466443), de ter praticado o crime previsto no artigo 121, do Código Penal Brasileiro”.

HUDSON HENRIQUE DE JESUS FALCÃO marido de ANA ELITA SOUSA NOGUEIRA, de 40 anos de idade, estavam bebendo na casa de um amigo do casal no loteamento açaí na noite de sábado, 19/12/2020, quando começaram uma discussão, o motivo teria sido ciúmes, deixaram o local discutindo, pouco tempo depois os dois se um envolveram um suposto acidente, onde ANA ELITA teria quebrado e pescoço vindo há óbito no local. HUDSON HENRIQUE, foi socorrido pelos bombeiros, levado ao HMI, e sofreu apenas ferimentos leves. No domingo, 20, ele esteve na delegacia de polícia civil e deu sua versão sobre o que teria acontecido.

“Ante o exposto, entendo preenchido os requisitos legais, razão pela qual DECRETO A PRISÃO TEMPORÁRIA, pelo prazo de 30 (trinta) dias – art. 2º, §4º, c/c art. 1º, VI, da Lei 8072/90 – do representado de HUDSON HENRIQUE DE JESUS FALCÃO”.

Porém, alguns detalhes informados por testemunhas e familiares da vítima fizeram a Policia Civil aprofundar as investigações no suposto acidente e na suposta morte da vítima decorrente da batida. Um dos fatos levado em consideração para o pedido de prisão temporária de UDSON, foi a declaração de óbito emitida pelo Instituto Médico Legal de Itaituba, onde cita a provável causa morte da vítima asfixia mecânica, (A, asfixia (ou sufocação) ocorre o enforcamento pela asfixia mecânica quando a constrição do pescoço por obliterar as vias respiratórias produzindo a morte). Porém a Policia Civil aguarda o laudo oficial do IML que deverá sair no prazo de 20 a 30 dias, onde vai apontar se ANA morreu decorrente do suposto acidente ou foi assassinada.

Se, ANA tiver sido assassinada o condutor do veículo e marido, HUDSON ENRIQUE será autuado de acordo com a Lei nº 13.104/15 que torna o feminicídio um homicídio qualificado e o coloca na lista de crimes hediondos, com penas mais altas, de 12 a 30 anos. É considerado feminicídio quando o assassinato envolve violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher da vítima. Se ANA tiver morrido decorrente da batida, HUDSON será autuado por Crime culposo ou crime negligente é um conceito do Direito penal que descreve o ato ilícito quando praticado sem a intenção, mas com culpa, isto é, geralmente com imprudência, imperícia ou negligência, pena – detenção, de um a três anos.

O irmão da vítima Balbino Sousa Nogueira em entrevista à imprensa disse que quer justiça pela morte de sua irmã, disse que, tem relatos de agressão de HUDSON contra a mesma, e acredita que ela foi assassinada, inclusive a possibilidade de Hudson deixar a cidade, e depois não ser mais encontrado pela justiça. HUDSON foi preso, levado ao IML e em seguida para o Centro Regional de Recuperação de Itaituba –CRRI, onde aguardará o final das investigações que estão sendo coordenadas pelos delegados Rafael Oliveira e Ricardo Vieira.

Fonte: Júnior Ribeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui