Denúncia: Faltam respiradores e rede de oxigênio no Hospital de Campanha de Santarém

0
77

Uma série de denúncias de possíveis irregularidades e arbitrariedades relacionadas ao funcionamento do Hospital de Campanha de Santarém (HCS), deve chegar nos próximos dias, ao conhecimento das autoridades, incluindo o Ministério Público Estadual e Ministério Público Federal.

As ocorrências colocam em ‘xeque’, por exemplo, o objetivo da unidade hospitalar ter sido implementada em Santarém, o qual não estaria sendo alcançado. Falta de medicamentos, equipamentos, EPI´s e até mesmo o efetivo funcionamento da rede de oxigênio estariam entre as dificuldades no atendimento aos pacientes.

Os denunciantes questionam a falta de transparência na aplicação dos recursos públicos, com pagamentos vultosos, que não estão sendo disponibilizadas as notas fiscais, por exemplo, no site do HCS.

Atividades inerentes a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), da 9ª Regional, relacionadas a fiscalização de cumprimentos das cláusulas do contrato entre o Instituto Panamericano de Gestão (IPG) e o Governo do Estado, não estariam acontecendo a contento.

Em meio ao montante de recursos já disponibilizados ao IPG, sobram gastos com consultorias, e faltam equipamentos. O número de respiradores instalados são insuficientes, e mesmo que tivessem, sua utilização estaria afetada devido ausência de tubulação de gases que permita a instalação.

Outros equipamentos como monitores cardíacos, são insuficiente em relação ao número de leitos de estabilização.

A falta de medicação estaria virando rotina, faltam sedativos, antibióticos, anticoagulantes, corticoides e analgésicos.

RG 15 / O Impacto