Sindicatos de servidores estaduais pressionam por audiência com Helder Barbalho

0
505

Nesta quarta-feira, 20, dirigentes dos sindicatos de servidores públicos estaduais vão até à Casa Civil do governo do Estado, para se reunirem com o chefe da Casa Civil, Parsifal Pontes, na tentativa de conseguirem uma audiência com o governador Helder Barbarlho (MDB).

Os sindicalistas afirmam que desde o início de janeiro, quando o governador assumiu o mandato, os sindicatos tentam uma audiência para tratar da pauta de reivindicação, cujo teor foi discutido durante reunião que Helder Barbalho realizou com eles, durante o segundo turno da campanha eleitoral, em 2018.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Fisco Estadual (Sindfisco), Antônio Catete, explica que há muitos itens na pauta geral dos servidores a serem discutidos com o governo estadual. Um deles, é o reajuste salarial. Porém, há muitos problemas que precisam ser debatidos para melhoria da prestação de serviços à sociedade.

Ele ressalta, que o primeiro movimento dos sindicatos, foi enviar ofício ao governador eleito e empossado, na tentativa de articular a audiência com todas as categorias de servidores representadas. Porém, não houve retorno do governo. Ele assegura, que se amanhã os sindicatos não conseguirem marcar a audiência com Helder Barbalho vão se preparar pra outro tipo de pressão sobre a gestão estadual.

Em reunião realizada dia 18 deste mês, o Fórum Estadual que congrega as entidades sindicais decidiu cobrar ao governador a audiência sobre a pauta de reivindicações dos servidores públicos estaduais.

Todos os representantes dos sindicatos foram convocados para irem à Casa Civil, a partir das 9 horas desta quarta-feira.

O fórum vai apresentar ao chefe da Casa Civil a lista de itens que pretendem negociar com o governador, entre eles o percentual de perdas salariais acumulado, que que já chega a quase 17%.

Em relação às reivindicações dos servidores da fazenda estadual, segundo Antônio Catete, o que mais interessa à categoria é a questão da infraestrutura, que segundo ele, está muito precária, com condições mínimas de trabalho.

O presidente do Sindfisco ressalta, que as unidades localizadas nos interiores do Estado, especialmente em localidades de divisa com outros Estados, estão em situação de muita precariedade. Como é o caso dos postos fiscais considerados principais para a fiscalização estadual, como Itinga, Gurupi, Conceição do Araguaia e Carajás.

Além disso, com a possível aprovação da reforma da previdência, vários servidores estão se preparando pra se aposentar, pois já têm tempo de serviço suficiente e não querem ficar risco de serem prejudicados. Com isso, será preciso realizar concurso para que outros servidores os substituam.

No final de setembro, Helder Barbalho se reuniu com os dirigentes da Associação dos Funcionários do Banpará (Afbepa), em que assinou um documento se comprometendo a atender as reivindicações dos servidores do banco. Ele também se reuniu com sindicatos de todas as áreas, que agora cobram o cumprimento das promessas de campanha, em documentos assinados pelo então candidato a governador.

De acordo com o coordenador do Sindicato dos Servidores do Detran (Sindtran) Elison Oliveira, a maior parte dos trabalhadores do órgão, ainda tem a expectativa de que o governador receberá a direção do sindicato para tratar da data-base da categoria, que será em abril, com a finalidade de constituir uma mesa permanente de negociação para em curto, médio e longo prazo atender as pautas de reivindicações dos servidores públicos estaduais.

Porém, Elison admite que não está sendo fácil, pois apesar  ter protocolado quatro ofícios na Casa Civil, os até agora os servidores estão sendo ignorados. “Já solicitamos por oficio, quatro audiências com o governo estadual e até o momento nenhuma ligação dando satisfação recebemos”, afirma.

No caso dos trabalhadores da educação estadual, a situação é exatamente igual aos outros servidores, como explica o coordenador do Sindicato dos Trabalhdores em Educação Pública do Pará (Sintepp), Beto Andrade.

Ele explica, que na verdade será uma tentativa de reunir com o chefe da Casa Civil. “Não houve até agora para o conjunto de servidores do Estado nenhum tipo de resposta do governo estadual, muito menos reunião”, ressalta Andrade. Ele esclarece, que embora o Sintepp tenha tido reuniões temáticas com a direção da Secretaria de Educação, especialmente para tratar do piso nacional do magistério, também promessa de campanha de Helder Barbalho, mas que até agora não foi cumprida.

Estarão na quarta-feira na Casa Civil os dirigentes dos sindicatos da sapude, educação, fazenda estadual, Universidade Estadual, judiciário, Detran, Banpará, entre outros.