Em depoimento à Justiça, Palocci diz que houve propina na compra de helicópteros e submarinos franceses

0
420

Em depoimento à Justiça nesta segunda-feira (18), o ex-ministro Antonio Palocci disse que houve pagamento de propina na compra de helicópteros e submarinos franceses realizada pelo governo brasileiro em 2008. Na época, o presidente era Luiz Inácio Lula da Silva. Palocci foi ministro da Fazenda de Lula entre 2003 e 2006.

A defesa do ex-presidente foi procurada pela reportagem que  aguardava uma resposta até a última atualização desta reportagem.

Palocci prestou o depoimento, na condição de testumunha, para o juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza. A ação investiga suspeita de irregularidades na compra de caças suecos pelos governo e na edição de uma medida provisória que concedeu incentivos fiscais a montadoras de veículos.

Palocci disse ao juiz que não tinha informações sobre a compra dos caças suecos, porque, quando foi efetuada, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, ele já não ocupava cargo no governo.

O ex-ministro relatou irregularidades na negociação com franceses.

Segundo Palocci, em uma reunião realizada em 2007 entre o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o então presidente francês, Nicolas Sarkozi, “se tratou de ilícitos que se consubstanciaram depois no pagamento de propina no projeto de submarinos e helicópteros”.

“Ali, fica claro a compra de equipamentos dos aviões de caças, dos helicópteros e dos submarinos para a Marinha. Sobre os submarinos e os helicópteros eu conheço várias situações ilícitas. Diversas situações que envolvem ilícitos importantes. […] Naquela oportunidade, o conjunto da compra das Forças Armadas, ali se tratou de ilícitos sim e que se consubstanciaram depois no pagamento de propina do projeto de submarino, do pagamento de propina no projeto dos helicópteros”, disse Palocci.

Como a ação não investiga a compra dos helicópteros e submarinos franceses, o juiz não fez mais perguntas para Palocci sobre esse tema.

Palocci fez acordo de delação premiada com a Polícia Federal. As informações prestadas por ele estão sob sigilo. Esse é outro motivo para, na audiência desta segunda, ele não ter sido questionado sobre temas que não dissessem respeito exclusivamente à compra dos caças e à medida provisória.

Em 2008, o Brasil assinou com a França acordos que previam a aquisição de 50 helicópteros e cinco submarinos.

Além de Lula, são réus nessa ação penal o filho dele, Luis Cláudio Lula da Silva, e empresários Mauro Marcondes e Cristina Mautoni. Eles respondem por tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Sobre a MP que é alvo da investigação, Palocci disse que é conhecida por ser uma “campeã de propinas”.