Aumenta a revolta dos usuários contra a Celpa, dessa vez foi em Novo Progresso

0
342

Moradores da cidade de Novo Progresso  e Castelo de Sonhos também engrossam as manifestações contra a concessionária de distribuição de energia Celpa. Na noite desta segunda quarta-feira (11) aconteceu audiência pública convocada pelo Ministério Publico Estadual para ouvir representantes da empresa, Ministério Público,  associações, sindicatos, lideranças políticas, comerciantes, empresários e populares.

A pauta é feita de muitas reclamações. “Tarifas com preço considerado exorbitante, cobranças indevidas nas faturas mensais, práticas abusivas supostamente cometidas pela operadora Celpa, que não respeita o condigo de defesa do consumidor”, destacou Claudinho Leite enviado do Jornal Folha do Progresso.  “Nós não estamos mais conseguindo pagar a conta de energia, estamos tirando da mesa, são valores muito fora da realidade e com cobranças que ninguém consegue entender. Isso é um absurdo”, palavras mais citadas na audiência, explica.

Atendendo ao clamor popular, o Ministério Publico convocou a audiência pública. “Em atendimento ao pedido da comunidade progressense e mais órgãos e instituições públicas para audiência pública, onde foi discutido a seguinte pauta: fornecimento de energia elétrica e problemas e entraves no atendimento ao público pela concessionária Celpa”. A convocação veio através de oficio circular nº 0001/2019 -MP  1ª e 2ª Promotorias de Justiça da Cidade de Novo Progresso, assinada pelo Promotor OSVALDINO LIMA DE SOUZA.

Ao final da audiência, que em sua maioria não foi respondida pelo  representante da empresa concessionária de energia, o Ministério Publico de Novo Progresso se comprometeu de tomar medidas e expedir  encaminhamentos para Celpa com algumas solicitações. Uma delas pede atendimento humanizado no escritório da empresa.

Depois de ouvir as reclamações o  MP [Ministério Publico] deverá formular uma ação civil pública e até mesmo sanções nos casos comprovados que a Celpa está em débito com os direitos do consumidor progressense.

No ano passado a, Câmara aprovou uma lei que impede o corte no fornecimento de energia nos finais de semana de clientes inadimplentes.

Por:JORNAL FOLHA DO PROGRESSO