Asfaltamento da Transamazônica será cobrado em Brasília

0
470

As precariedades da Rodovia Transamazônica (BR-230), já é um problema antigo, e com o período de chuvas na região, o lamaçal fica ainda pior. Esta semana, uma mobilização popular pedindo obras de asfaltamento foi realizada no trecho na Ponte que liga Tucuruí à Novo Repartimento, no sudeste paraense.  A comunidade pressiona o Governo Federal pedido a realização de obra de pavimentação.

O tema será debatido no próximo dia 14 (quinta-feira), em Brasília (DF).  Está marcada uma audiência pública entre Marcos Pereira, vice-presidente da Câmara dos Deputados, e o parlamentar paraense, Fábio Freitas (PRB), representando a Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).

“O asfaltamento da transamazônica é de suma importância para o nosso estado. Além desta mobilização. Vamos tratar deste assunto na Câmara Federal”, diz Fábio Freitas que esteve na mobilização.

No local, o parlamentar conversou com a sociedade. “A rodovia Transamazônica (BR-230) foi inaugurada em agosto de 1972 e é a terceira maior rodovia do país com 4. 260km de extensão, percorrendo sete estados, sendo que mais de um terço da rodovia está em território paraense e grande parte do percurso nunca recebeu obra de asfaltamento”, destaca o deputado estadual.O professor José Tomé, morador da região, conta das dificuldades de quem transita na via. “Pelo inverno é assim, vamos caminhão e outros veículos atolados e no verão, a gente lida com a poeira. As pessoas que moram aqui enfrentam essa realidade muito difícil”, diz Tomé.