Pará registra 25 homicídios no último final de semana

0
481
Crédito: Divulgação/Google

Os índices de homicídios, no Pará, nos primeiros 13 dias do ano são altos, porém menores que o mesmo período em 2018. Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), até o último domingo (13), foram totalizadas 112 mortes no Estado. No mesmo período no ano passado, totalizou-se 179 homicídios, sendo constatada uma redução de 37% em 2019.

Outro dado alarmante é o número de Policiais Militares mortos. Na madrugada desta segunda-feira (14), o Subtenente da reserva remunerada da Polícia Militar (PM), Ivo Afonso Souza da Silva, de 55 anos, foi assassinado no bairro da Pedreira. A vítima foi o sexto policial morto desde o primeiro dia de 2019. As mortes têm características de latrocínio e/ou execução.

A assessoria da Segup informou que: “As investigações para apurar as mortes estão em andamento, sob responsabilidade da Divisão de Homicídios, da Polícia Civil, para identificar e prender os responsáveis. Dos seis casos registrados, dois estão com autoria presa, morta ou identificada, com mandado de prisão decretado, e quatro ainda estão em apuração, ou seja, ainda não esclarecidos”.

Dados divulgados pelas Redes Sociais

Nas redes sociais, está circulando uma mensagem com dados de número de mortos no Pará nos dias 11 a 13 de janeiro – 11 na sexta-feira, 16 no dia sábado e 16 no domingo (13), totalizando 43 mortes. A Secretaria de Inteligência e Análise Criminal (Siac) da Segup informou que os números estão incorretos e divulgou a informação oficial de 25 homicídios em todo o Estado no período citado.

O governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, declarou nesta segunda-feira (14), em coletiva no Comando Geral da Polícia Militar, que mesmo com os dados alarmantes dos primeiros dias do ano, o Governo continuará agindo de forma a estudar e investigar cada caso para entender e formular iniciativas de combate à violência:

“Jamais ficaremos assustados com qualquer iniciativa partida de bandidos. Continuaremos fazendo o enfrentamento contra a bandidagem do Estado, na tentativa de reagir às resoluções que estão sendo feitas pelo Governo. Nós continuaremos pressionando e enfrentando para que consigamos prosseguir na diminuição dos registros de homicídios. É fato, também, que as mortes de agentes de segurança precisam ser estudadas individualmente”, disse o governador.

Fonte: RomaNews