Paulo Guedes reúne articuladores políticos e técnicos em equipe

0
689

Paulo Guedes reúne articuladores políticos e técnicos em equipe - Crédito: Reprodução/Jornal do Brasil

Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, confirmou  nesta terça-feira (11) que o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) será o secretário especial da Previdência em sua gestão, fechando  o esqueleto central de seu superministério, distribuidas em 4 pastas: Fazenda, Planejamento, Indústria e Comércio Exterior, além de duas secretarias do Ministério do Trabalho.

Está confirmado até o momento, que Guedes terá seis secretários-gerais abaixo dele, além de um secretário-executivo. (um número 2).

Marinho afirmou em nota que irá se aprofundar no trabalho feito por técnicos “há algum tempo”.

“Chegamos para trabalhar em equipe e aprovar uma reforma ainda no primeiro semestre de 2019, capaz de contribuir para o equilíbrio fiscal do país”, afirmou.

Guedes selecionou nomes que já atuam no governo Michel Temer. Seu número dois, Marcelo Guaranys, é um dos principais assessores da Casa Civil, responsável pelo acompanhamento e análise de políticas públicas.

Waldery Rodrigues Júnior, secretário-geral da Fazenda, é hoje coordenador da Secretaria de Política Econômica e antes era consultor do Senado.

Nesta terça, ele participou de reunião de transição com o atual titular do cargo, o ministro Eduardo Guardia (Fazenda). Ao chegar ao gabinete de transição, montado no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), ele afirmou que está recebendo as sugestões propostas pela atual equipe econômica de Michel Temer.

“Serão considerados para análise”, disse Waldery.

Ele confirmou também que Mansueto Almeida, atual secretário do Tesouro Nacional, permanecerá no cargo.

O desenho original foi alterado, segundo pessoas da equipe de Guedes, porque o futuro ministro queria dar destaque à reforma da Previdência, depois que Bolsonaro, o filho Eduardo e o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, colocaram em dúvida o avanço da reforma.

Fonte: Roma News