Família contaminada por doença de Chagas terá que ser acompanhada durante seis meses

0
359
Pai, mãe e filhos contaminados com doença de Chagas – Crédito: Reprodução

A família de ribeirinhos toda contaminada por doença de Chagas e que reside na localidade do Trapichinho, às margens do rio Assurana, em Curralinho, na ilha do Marajó, terá que ser acompanhada pela equipe médica do hospital municipal por 60 dias, até a doença ser controlada.

De acordo com a coordenadora do Departamento de Endemias da Secretaria Municipal de Curralinho, enfermeira Tânia Moraes, as seis crianças e os pais foram atendidos no hospital municipal na quarta-feira, 31 de outubro. Eles fizeram exames e receberam a medicação, que precisam tomar durante o tratamento.

O sangue colhido foi enviado para o Laboratório Central, em Belém e segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sespa), o resultado será divulgado dentro de quinze dias. A suspeita da contaminação, segundo a enfermeira, é que a família tenha consumido açaí com fezes do barbeiro, inseto que transmite a doença de Chagas.

Tânia Moraes, explica que na sede da cidade os batedores de açaí recebem orientações sobre manipulação adequada do açaí. Porém, na zona rural as famílias retiram a polpa do fruto de forma artesanal, por isso, é mais difícil controlar.

Os sintomas da doença foram detectados na sala de aula pelos professores e direção da Escola Municipal Professor Francisco Carlos Martins. As crianças de 15, 13, 11, 9, 7, 5 estudam nesta escola. A outra crianças de 3 anos também apresenta os mesmos sintomas, juntamente com o pai Odileno Pinheiro e a mãe Elisângela Bararuá. Apenas o bebê de dois meses não apresentou os sintomas, mas a mãe teve que parar de amamentar por causa dos efeitos da medicação no leite materno.

A equipe de professores e a direção da escola realiza uma campanha no município para ajudar a família com mantimentos, roupas e material de higiene, além de leite para o bebê de dois meses, já que a mãe não pode mais amamentar.

Em janeiro, o município de Curralinho teve outro surto de doença de Chagas, onde três pessoas foram contaminadas, também por consumo inapropriado de açaí.

Em todo o Pará, neste ano de 2018 já foram registrados 163 casos de doença de Chagas. Até na capital foram registrados 19 casos da doença. Em 2017, foram registrados pela Sespa 308 casos de doença de Chagas.

Fonte: RomaNews