Sinalização de que Bolsonaro pode indicar Moro para o STF desagrada cortes superiores

0
351

Segundo magistrado, hipótese é como colocar um soldado para comandar os generais.

O juiz Sergio Moro – Rodolfo Buhrer/Reuters

A sinalização de Jair Bolsonaro (PSL) de que, se eleito presidente, pode indicar o juiz Sergio Moro para o STF (Supremo Tribunal Federal) não caiu bem nas cortes superiores.

FILA 2

Segundo um magistrado, não é “normal” a indicação de um juiz de primeira instância para o mais importante tribunal do país.

FILA 3

Em geral, quando a escolha recai sobre a magistratura, a disputa se dá entre ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) ou desembargadores de tribunais regionais e de justiça dos estados.

FILA 4

Levar o juiz ao STF furando fila, diz outro ministro, é como colocar um soldado para comandar os generais.

NUVENS

Bolsonaro ainda cria arestas no STJ: vários dos ministros da corte sonham um dia ir para o STF.

CHUMBO

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) decidiu pedir proteção à Polícia Federal. Ele foi citado por Bolsonaro em um discurso que o presidenciável fez por telefone, no domingo (21), para seus seguidores na av. Paulista, em SP.

CHUMBO 2

Bolsonaro disse, dirigindo-se a Lula, que “brevemente você terá Lindbergh Farias para jogar dominó no xadrez”. Afirmou que “esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria” pois fará “uma limpeza nunca vista na história”, com a polícia fazendo “a lei valer no lombo de vocês”.

CHUMBO 3

“Foi o discurso de um candidato a ditador. A ideia central foi de eliminação do adversário. É um discurso que autoriza a violência. Me preocupo porque no Rio todos os grupos milicianos apoiam Bolsonaro”, afirma o senador.

ELE NÃO

O secretário de Inovação e Tecnologia, Daniel Annenberg, disse, em suas redes, que votará em Fernando Haddad (PT). Eleito vereador pelo PSDB, ele foi nomeado por João Doria, que se declara entusiasta de Bolsonaro.

MISSÃO IMPOSSÍVEL

“Não tenho como votar numa pessoa que propaga o ódio e que é a favor da tortura e contra mulheres, negros e LGBTs”, disse ele.

SÓ EU SEI

Já o prefeito Bruno Covas não diz qual é a sua opção: “O voto é secreto”.

Fonte: Folha