Equipes de Ibama e Chico Mendes sofrem novos ataques

0
431

O primeiro atentado contra o  ICMBio,  ocorreu na sexta-feira (19) à tarde, no município de Trairão (PA), contra o IBAMA foi ás  22h do sábado (20), na cidade de Buritis (RO), a 338 km de Porto Velho.

Atentado ao Ibama Atentado ao Ibama (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters/Arquivo)

O atentado contra o Ibama aconteceu às 22h do sábado (20), na cidade de Buritis (RO), a 338 km de Porto Velho. Usando um galão de gasolina, um homem ateou fogo em três das dez viaturas do órgão estacionadas em frente a um hotel.

Veículo usado na fiscalização do Ibama em operação contra desmatamento em Sinop, no Mato Grosso. No sábado, 3 desses veículos foram queimados em Rondônia. Foto: Divulgação.

O fogo foi controlado por policiais, evitando que se espalhasse às demais viaturas. O suspeito do ataque, Edmar dos Santos Lima, foi preso e autuado por dano ao patrimônio público.

Durante a confusão, um grupo de pessoas se aglomerou diante do hotel. Algumas delas passaram a incentivar a queima de outras viaturas e chegaram a romper o cordão de isolamento. A polícia conseguiu conter um segundo ataque e prendeu um dos incentivadores, de acordo com o boletim de ocorrência.

A pedido do Ibama, uma unidade de elite da PM de Rondônia foi deslocada até Buritis. O órgão ambiental também solicitou reforço da Força Nacional. A equipe do Ibama está em Buritis para uma operação de combate ao desmatamento, como parte do Plano Nacional Anual de Proteção Ambiental (Pnapa).

Atentado contra ICMBio

No caso do ICMBio, o incidente ocorreu na sexta-feira (19) à tarde, no município de Trairão (PA), situado na BR-163 e a 1.395 km a sudoeste de Belém. Trata-se do primeiro ataque ao órgão ambiental neste ano em todo o país.

De acordo com o relato oficial, uma equipe estava na Floresta Nacional (Flona) Itaituba 2 para verificar um desmatamento detectado por satélite e combater o roubo de madeira.

Enquanto isso, foi queimada uma pequena ponte na única estrada de acesso. Áudios obtidos pelo ICMBio mostram que a ação foi orquestrada por moradores de Bela Vista do Caracol, distrito de Trairão, cuja economia depende de madeira ilegal e extração de palmito.

Quando a equipe estava parada na ponte queimada, um grupo de moradores se concentrou numa segunda ponte, a algumas centenas de metros. Agentes do ICMBio relataram ter ouvido tiros.

Acionada, a Polícia Militar conseguiu desmobilizar os moradores. Depois que os agentes do ICMBio improvisaram uma segunda ponte, os policiais escoltaram a equipe até a cidade de Itaituba.

Viaturas destruídas pelo fogo em Cachoeira da Serra.

Em 07 de julho do ano passado, oito viaturas do Ibama foram incendiadas em ataque criminoso na BR-163, perto da divisa dos estados de Mato Grosso e Pará. As caminhonetes eram transportadas em uma carreta para renovação de parte da frota na base de Novo Progresso (PA). Na ocasião, o atentado ocorreu após operações de fiscalização que resultaram em redução de 54% do desmatamento no eixo da BR-163, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), ninguém foi indiciado pelo crime.

Carro do IBAMA incendiado em ataque no final de 2017 em Humaitá (AM).Foto: ivulgação/FP.

Em 27 de outubro de 2017, as sedes do Ibama e do ICMBio em Humaitá, no sul do Amazonas, foram incendiadas após operação de combate ao garimpo ilegal no Rio Madeira (AM e RO). Cinco meses depois, a Polícia Federal (PF) cumpriu 28 mandados de prisão com o objetivo de desarticular o grupo criminoso responsável pelos atentados.

A mídia Ambientalista associa os ataques ao presidencial Bolsonaro (PSL);