Dados da Segup registram redução dos homicídios em Belém e em todo Pará

0
381

Apesar da redução, o final de semana registrou 25 homicídios em Belém e arredores.

Crédito: Yago Frota
A Secretaria de Inteligência e Análise Criminal (Siac) da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) registrou 25 homicídios na Região Metropolitana de Belém no final de semana que passou.
Os crimes ocorreram nos bairros da Terra-Firme, Marco, Campina, Jurunas, Distrito de Icoaraci, Mangueirão, Bengui, São Brás, Pedreira, (Belém) e Cidade Nova, Cidade nova III, 40 horas, Águas Brancas (Ananindeua) e Bairro Central (Santa Bárbara).
Um dos casos, é de Ingrid Carolina Pinto, de apenas 20 anos, assassinada pelo ex-marido, em Ananindeua na sexta-feira, 19, em mais um caso de femicídio.
De acordo com a Segup, o Centro Estadual Integrado de Inteligência (CEII), inaugurado no dia 17 deste mês de outubro, vai ajudar à polícia a reduzir os números da criminalidade no Estado do Pará.
Os dados, segundo a Segup, apontam que há redução nos índices de criminalidade.

Nos homicídios dolosos, a Segup registrou redução de 5,7% por taxa de 100 mil habitantes, com 113 registros a menos que o mesmo período de 2017 (janeiro a 15 de outubro). No total foram registrados 3.031 homidícios dolosos em 2017 e 2.918 em 2018.
A RMB também apresentou redução de 7.2% nos homicídios dolosos, por taxa de 100 mil habitantes, com 60 registros a menos (1.144 em 2017 e 1.084 em 2018).
Na capital paraense, a redução foi de 5,7% dos homicídios dolosos, por taxa de 100 mil habitantes, com 27 registros a menos (695 em 2017 e 668 em 2018).
No restante dos municípios do Estado, apresenta redução de 4,8%, em taxa por 100 mil habitantes, nos homicídios dolosos, com 53 registros a menos (1.887 em 2017  e 1.834 em 2018).
Investimento em inteligência, equipamentos e aumento da corporação ajudam a reduzir a criminalidade
O complexo tecnológico de gestão de informações, dados e fatos de segurança, reúne o esforço de todos os órgãos de segurança do Estado no combate à criminalidade, uma iniciativa inédita no país. O centro é um mecanismo de colaboração com o Sistema de Justiça Criminal na construção de estratégias de investigação, ampliando a capacidade de atuação do Estado na identificação das causas e fatores da criminalidade.
Além disso, ressalta a Segup, mais de 3 mil novos agentes passaram a integrar o sistema de segurança do Estado, nas funções de delegados, policiais civis, papiloscopistas, escrivães e agentes prisionais, assegurando a atuação de delegados em todos os municípios do Pará. Para isso,  70 novas delegacias no modelo UIPP (Unidades Integradas Pro Paz) foram construídas e recuperadas pelo governo estadual.
No total,  há 16,5 mil Policiais Militares na segurança pública, em todo o Pará. Destes, 2,2 mil são de novos policiais, empossados em 2018.
7.496 PM’s atuam na RMB e 7.437 no interior paraense. A Polícia Civil conta com um contingente de 3.380 policiais no Pará.  Sendo 1.533 lotados no interior e 1.979 PC’s lotados em RMB.
Mais de 1,7 mil veículos, entre quatro rodas e motocicletas, foram entregues para a intensificação das rondas policiais onde são identificados crimes, além do fortalecimento das Guardas Municipais com a entrega de veículos e qualificação profissional.
400 reservistas da PM foram convocados para o setor administrativo, e o remanejamento dos policiais da ativa, para as atividades operacionais ostensivas nas ruas para a repressão ao crime.
A Segup informa que são realizados constantemente cursos de comportamento de autoproteção a policiais militares, além de capacitações orientadas para o enfrentamento da criminalidade e treinamento para proceder em possíveis situações de conflito durante os dias de folga.
A Segup ressalta que qualquer informação sobre casos de criminalidade pode ser repassada pelo Disque-Denúncia, no 181. O sigilo é garantido.
Fonte: Segup