Meningite exige desinfecção da cadeia

0
531

Infectologista diz que é necessário antibiótico por três dias para a profilaxia da doença.

Dois casos de meningite bacteriana, a forma mais grave da doença, ocorreram na Central de Triagem Metropolitana II (CTM II), em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. Segundo a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), os detentos apresentaram sintomas da doença, no último sábado, 8, foram encaminhados e tiveram diagnóstico e tratamento da doença no Hospital João de Barros Barreto, da Universidade Federal do Pará (UFPA), no Guamá, em Belém. Na manhã de ontem, o hospital informou que um dos pacientes teve o diagnóstico confirmado e o outro aguardava resultado dos exames. A Unidade de Diagnóstico de Meningite do Barros Barreto afirmou que o estado de saúde dos pacientes é estável. A Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) não disponibilizou dados da doença em cárceres no Pará. Ainda no Estado, em 2017, 452 casos de meningite foram confirmados, com 48 óbitos, segundo informou o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan Net), do Ministério da Saúde. Em 2016, no Pará, foram 435 casos e 35 óbitos. Em 2015, foram confirmados 294 casos e 33 óbitos. Em 2014, houve a confirmação de 384 casos e 56 óbitos.

Fonte: ORM