Paraense que se veste de Emília para cantar em praças foi destaque nacional

0
461

Paraense que se veste de Emília para cantar em praças foi destaque nacional  (Foto: Antonio Chahestian/Record TV)

A paraense Luciane teve uma participação emocionante na edição do último domingo da “Hora do Faro” (Record). Chamada pelo apresentador Rodrigo Faro de “Boneca Emília de Belém”, ela participou de três momentos diferentes no programa. Primeiro, um desafio a ser enfrentado pela cantora e atriz Li Martins, da banda Rouge. Depois, Luciane foi surpreendida com um vídeo em que a mãe biológica contou os motivos que a levaram a deixar os filhos sob os cuidados da sogra. E como se não bastasse tamanha emoção, a jovem, após ser convidada para gravar a música “Trem Bala”, também foi surpreendida ao encontrar com a compositora do hit, Ana Vilela, de quem ela é super fã.

Luciane foi descoberta pela produção do programa por se apresentar nas ruas de Belém vestida como a personagem Emília, do “Sítio do Pica Pau Amarelo”, obra do autor Monteiro Lobato.

No começo da atração, a menina precisou da ajuda da cantora Li Martins, que também está atuando em musicais infantis e topou o desafio de viver um dia de “Bonequinha de Belém”, no coração comercial da cidade de São Paulo. Ali, ela teve a missão de cantar e arrecadar R$ 50 em 30 minutos. Só assim, Luciane ganharia os prêmios para ajudar a família. No final do desafio, Li Martins conseguiu arrecadar o valor de R$51.

Durante a exibição do quadro, Li confessou que achou muito difícil fazer o mesmo que a jovem Luciane desempenha diariamente nas praças de Belém. “Realmente é muito difícil… Eu fiquei muito nervosa, eu tremia, chegou a dar branco em algumas músicas. A produção falava para eu cantar outra música e eu não sabia o que cantar de nervoso que estava porque as pessoas não olhavam para mim e eu sabia que eu tinha uma meta para alcançar, e eu não conseguia chamar a atenção das pessoas. Chamava a atenção pela forma que eu estava vestida e porque estava cantando, mas não era suficiente”, contou.

EMOÇÕES

A história da menina de 20 anos, que foi abandonada pela mãe emprestou um tom mais dramático ao programa. Criada pela avó, Luciane foi surpreendida pela produção ao receber uma mensagem em vídeo em que a mãe biológica se desculpava por não tê-la criado e nem ter participado da vida da garota enquanto ela crescia.

No vídeo, a mulher que hoje mora em Boa Vista (RR), disse que em algum momento sentiu vontade de buscar os filhos com a sogra, com quem os deixou há 16 anos, mas contou que ficou penalizada em tirá-los da avó. “Foi em 2002, ela tinha 4 anos… Quando eu vim embora para Boa Vista, eu trouxe um e deixei eles porque não tinha condições financeiras de ficar com eles”, disse a mulher, ao ser perguntada quando foi a última vez que tinha visto a filha. “Deixei ela com o pai”, contou ela na época em que falou com a mãe do ex-companheiro por telefone. “Ele disse assim: ‘manda os meninos que vou te ajudar a criar eles. Quando você puder vim buscar eles pode vim buscar” (Sic), relembrou a mulher, completando que se arrepende. “Não abandonei, mas foi por necessidade”.

Depois de ganhar diversos prêmios no programa, a “Bonequinha de Belém” se emocionou com o depoimento de sua mãe e foi amparada pelos braços do apresentador do programa. “Acho que só o tempo vai dizer. Sou da igrejae sei que a gente deve perdoaro próximo. Isso é uma dádiva, mas tem coisas que só o tempo pode resolver”, disse Luciane, que garantiu.

Ainda mais emoção ao encerrar sua participação se apresentando no palco interpretando a música “Trem Bala”.

Fonte: DOL