Sumido, Zé Gotinha é resgatado diante de baixa adesão para vacinação

0
363

Personagem de 32 anos tenta estimular prevenção contra a pólio e o sarampo.

A dificuldade de cumprir metas de vacinação colocou em evidência no Brasil um personagem que andava meio sumido.

Com 32 anos, sete presidentes no currículo e uma história pouco conhecida pelos meandros da administração federal, Zé Gotinha ganhou papel central na campanha contra a poliomielite e o sarampo.

No momento em que a imunização oral contra a pólio entrou no centro da campanha, o boneco em formato de gota virou presença certa em campanhas de mídia e mobilizações de estados e municípios.

Algumas das aparições viralizaram na internet. Seja por flagrarem Zé Gotinha em plena infração de trânsito, como em vídeo do Ministério da Saúde em que ele corria ao lado de um carro (a animação depois foi retirada do ar), seja porque, em alguns outros casos, as fantasias eram tão precárias que ganharam feições assustadoras.

Para o que realmente importa, que é a mobilização para a ida aos postos, o efeito do personagem também é muito significativo, afirma Helena Sato, diretora de imunização da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.