Papão terá o adversário dos sonhos

0
325

busca pela reabilitação, jogando dentro de casa, não poderia ter um adversário mais propício ao Paysandu: o Sampaio Corrêa. O time maranhense cumpre uma campanha, no mínimo, decepcionante na Série B do Brasileiro, ocupando, no momento, a vice-lanterna da competição, ou seja, a 19ª colocação, com apenas 18 pontos, só um a mais que o Boa Esporte-MG, último colocado. O Tubarão, como é apelidada a equipe maranhense, tem um dos piores aproveitamentos na condição de visitante: 16,7% na competição.

No jogo de ida, em São Luís, o adversário bicolor já mostrava sua fragilidade, não indo além de um empate, por 1 a 1, no “Castelão”. De acordo com o site chance de gol, o Sampaio tem, hoje, quase 100% de chance de voltar à Série C do ano que vem. Para ser mais exato, o Tricolor tem 90,1% de possibilidade de disputar a Terceirona de 2019. Para este jogo contra o Papão, valendo pela 23ª rodada da Série B, os números também conspiram contra o visitante bicolor.

POUCAS CHANCES

O Sampaio reúne apenas 24% de chance de surpreender os donos da casa. Já o Papão, mesmo não cumprindo uma boa jornada no campeonato, tem possibilidades bem maiores de sair de campo com os três pontos: 46%. O empate tem 30% de chance de ocorrer. Mas tudo isso são números frios que, dentro de campo, podem ser modificados, como admitem o técnico Guilherme Alves e seus comandados.

O treinador sabe que o time precisa fazer o seu dever de casa, se impondo frente ao visitante. “São seis pontos que vamos disputar e precisamos conquistar isso”, anunciou Alves, já englobando a partida seguinte, também, na Curuzu, contra o Juventude-RS.

O fato de o time ter se aplicado diante do Brasil, principalmente no segundo tempo, quando foi superior ao adversário, tendo a chance de até vencer, deixou um rastro de animação no treinador. “Todos eles, todos que jogaram, que estavam no banco, assimilaram a porrada que nós tomamos em Londrina, assimilaram as conversas que nós tivemos”, elogiou o treinador, que espera ver, diante do Sampaio, seu time com a mesma pegada.

FORÇA-TAREFA: Dirigentes se unem para dar uma força no futebol

O Paysandu montou uma força tarefa de dirigentes que, a partir de agora, dará suporte ao departamento de futebol do clube. Os membros tiveram seus nomes anunciados à imprensa ontem. O grupo é constituído por seis colaboradores, alguns deles bem familiares aos torcedores, caso, por exemplo, de Ulisses Sereni, principal idealizador e incentivador da criação da marca Lobo, uma das principais fontes de receita do clube.

Além de Sereni, que também já havia trabalhado no futebol bicolor, fazem parte da comissão José Anísio, Paulo Ribeiro, Ivan Corrêa, Arlindo Bastos e Lucas Conde. O último, atual diretor de futebol, mas que pouco tem aparecido, pelo menos em público, em decisões importantes relacionadas ao setor. Os cartolas já possuem experiência em atividades burocráticas do clube em diferentes ramos, entre elas as divisões de base.

Hoje, integrantes do grupo darão uma coletiva na Curuzu, quando anunciarão em detalhes como funcionará a comissão.

AVALIAÇÃO PESSOAL: A tendência é evoluir, sempre!

Depois de participar de parte dos jogos contra o Londrina-PR e Brasil-RS, na região Sul, num total de 80 minutos em campo, o atacante Hugo Almeida espera, agora, iniciar e terminar a partida de amanhã, contra o Sampaio Corrêa, do Maranhão, e, se possível, marcando gol. Foi o que ele afirmou, ontem, em conversa, na Curuzu. “Claro que eu quero sempre fazer gol. Atacante vive disso. Com certeza eu ou quem jogar vai sempre buscar o gol. Isso é a nossa função”, declarou Hugo.

Embora não tenha balançado a rede nas duas partidas, o atacante avaliou sua participação diante do Brasil como positiva. “Acredito que tenha feito uma boa partida e tenho certeza que a próxima será ainda melhor. Sei do meu potencial, sei que posso melhorar”, analisou. Ele destacou que há algum tempo estava sem atuar. “Vinha há tempos parado, mas gostei da minha movimentação. Espero ter agradado ao meu treinador, aos meus companheiros. Como eu disse, tenho certeza que a tendência é, e vai, melhorar jogo a jogo”, observou.

Hugo contou imaginar que o Papão será guerreiro nos dois jogos em casa – o outro será no dia 31, contra o Juventude-RS. “Acho que esse espírito que teve a equipe, de luta, de garra, temos que trazer para esses dois jogos em casa, que vão ser muito difíceis”, projetou.

VANTAGENS

Ele destacou o fato de o Papão jogar sob o calor de sua torcida e num local bastante familiar ao time. “Aqui a gente tem sempre que se impor, porque estamos em casa. A nossa equipe tem que voltar a ser forte na Curuzu. Espero que a torcida possa comparecer para nos ajudar, nos apoiar. Precisamos muito do torcedor”, disse.

Os ingressos para a partida contra o Sampaio Corrêa estão à venda nas lojas Lobo.

(Nildo Lima/Diário do Pará)