Dezenas de pessoas sofrem overdose em parque em cidade dos Estados Unidos

0
351

Autoridades acreditam que carregamento de maconha sintética estava contaminado com opioide.

Um parque próximo à Universidade Yale, na cidade de New Haven (Connecticut, nos EUA), se tornou a cena de uma overdose em massa nesta quarta-feira (15). Paramédicos corriam de pessoa em pessoa tratando dezenas de usuários de drogassemiconscientes ou desorientados.

Mais de 70 pessoas sofreram overdose em um período de 24 horas, a partir da noite de terça (14); autoridades dizem que suspeitam de um carregamento de maconha sintética que pode ter sido contaminado com opioides.

O número de overdoses sobrecarregou os serviços públicos da cidade, disse Sandy Bogucki, diretora de serviços médicos de emergência de New Haven. As ambulâncias transportavam as pessoas rapidamente para poder voltar e pegar mais pessoas, disse a médica.

Anthony Campbell, chefe de polícia da cidade, disse que as primeiras overdoses foram notificadas por volta das 20h de terça (21h em Brasília) no parque New Haven Green. Na manhã de quarta, a polícia já havia recebido diversas ligações sobre overdoses de maconha sintética, também conhecida como K2 ou Spice, não só no parque mas em outros locais da cidade.

As notificações de overdose continuaram chegando ao longo do dia. “Espero que não encontremos mais”, disse David Hartman, porta-voz da polícia local.

Duas pessoas foram indicadas por ligação com as overdoses, disse a polícia —os dois portavam a droga.

Duas vítimas estavam em estado grave, mas não foram registradas mortes. Segundo o hospital Yale-New Haven, ao menos 35 pessoas foram tratadas na quarta-feira.

John Alston Jr., chefe dos bombeiros de New Haven, disse que a substância consumida pelas vítimas era um tipo de cigarro de maconha —normalmente, sintomas causados por essa droga não são tratados com Narcan, ou naloxona, que é usado em casos de overdose de opioides. Mas Alston disse que as vítimas responderam bem ao serem tratadas com a naloxona, o que leva os investigadores a acreditar que a droga poderia conter um opioide como o fentanil.

“Não é raro ver um grande grupo de pessoas sofrerem overdose, mas não nesse ritmo”, disse Hartman.

Fonte: Folha