BRASILEIRO SÉRIE A. Os “caras”, polêmicas, erros e frases: a rodada em resumo

0
380

A rodada 15 do Campeonato Brasileiro está quase encerrada. Por conta dos jogos da Sul-Americana, duas partidas foram adiadas para o dia 29 de agosto: Atlético-PR x Vasco e Ceará x Bahia. Nos outros jogos, os maiores vencedores foram Grêmio, Vitória e América-MG, que ganharam três posições na tabela: os gaúchos saltaram da sétima para fechar o G-4, enquanto baianos saíram da 16ª para a 13ª e mineiros deixaram a zona de rebaixamento – antes era o 17º e agora é o 14º.

Já a Chapecoense foi a que mais despencou – 3 posições – e agora abre a zona de rebaixamento. Outros que caíram bastante na tabela perderam duas colocações: Internacional (de 3º para 5º), Cruzeiro (de 4º para 6º) e Sport(de 10º para 12º). O líder Flamengo não venceu, mas também pode comemorar. Com o tropeço do São Paulo, abriu de um para dois pontos a vantagem para o clube paulista.

Éverton e Romero, são os “caras” da rodada

Se o São Paulo se preocupou em parar Luan, errou o alvo escolhido. O baixinho Everton estava endiabrado e fez a festa pelo lado direito da defesa são-paulina. Não tomou conhecimento de Militão e resolveu um jogo complicado para o Grêmio com dois gols na individualidade.

Everton acabou com a boa sequência do São Paulo e de Militão
Everton acabou com a boa sequência do São Paulo e de Militão

Foto: Raul Pereira/Fotoarena / Estadão Conteúdo

Assim que assumiu o Corinthians, o técnico Osmar Loss perdeu Júnior Dutra e Kazim, negociados. Em seguida, Roger se machucou e o mesmo aconteceu com Jonathas aos 31min de jogo. Sem homens de área, o treinador teve que improvisar e sacrificou Romero para a função. Mas não é que ele se deu bem? Como “falso 9”, o paraguaio marcou dois gols de centroavante, após rebotes, com apenas um toque na bola. Fora isso (como se precisasse mais), o maior artilheiro da Arena Corinthians levou os torcedores ao delírio com boas arrancadas e sua habitual raça.

Romero virou 9 e decidiu o jogo para o Corinthians
Romero virou 9 e decidiu o jogo para o Corinthians

Foto: Ale Frata/Código 19 / Estadão Conteúdo

Quem também mandou bem:

Cássio volta a ser Cássio

Após uma partida para esquecer no clássico contra o São Paulo, Cássio voltou a ser Cássio no gol do Corinthians. O camisa 1 parou o ataque do Cruzeiro com pelo menos quatro defesas importantes. Também do lado corintiano, Danilo Avelar fez realmente a sua estreia pelo clube, com boas jogadas pelo lado esquerdo e participação decisiva nos dois gols.

Cássio voltou a ser Cássio no gol do Corinthians
Cássio voltou a ser Cássio no gol do Corinthians

Foto: Bruno Riganti/FramePhoto / Estadão Conteúdo

Kannemann salva o Grêmio

Partida impecável do zagueiro gremista contra o São Paulo. Ganhou praticamente todas contra o ataque paulista, pelo chão ou pelo alto. E ainda foi decisivo em um lance crucial na partida. Quando os visitantes ainda venciam por 1 a 0, evitou gol certo de Nenê com um carrinho providencial em cima da linha. No minuto seguinte, saiu o empate dos gaúchos que mudou a história do duelo. Destaques também para as atuações de Grohe com boas defesas e Maicon, sempre seguro e criativo no meio-campo.

Rodrygo faz fila e decide

Everton Ribeiro vai aos poucos conquistando os torcedores do Flamengo. Mostrou oportunismo para fazer o gol contra o Santos e dominou o meio-campo. Do lado alvinegro, Vanderlei voltou a mostrar a segurança de sempre com ótimas defesas. Mas quem desequilibrou mesmo foi o jovem Rodrygo. Puxou importantes contra-ataques em velocidade e foi o responsável direto pelo gol de empate ao driblar três defensores e servir Gabriel.

Rodrygo foi o melhor do empate na Vila Belmiro
Rodrygo foi o melhor do empate na Vila Belmiro

Foto: Leandro Bernardes/Framephoto / Estadão Conteúdo

Gilberto eficiente atrás e na frente

Já do lado do adversário, Júlio César e Gilberto foram os responsáveis diretos pelos três pontos. O goleiro fez duas defesas difíceis em cabeçadas e o lateral sempre foi bem nas subidas e acabou coroado com o gol decisivo em tiro certeiro da entrada da área.

Quem mandou mal:

Militão afunda São Paulo no Sul

Coincidência ou não, na semana em que foi anunciado como novo reforço do Porto e iniciou seu adeus ao São Paulo, Militão talvez tenha feito a sua pior partida desde que estreou no clube do Morumbi. Não que a atuação tenha sida toda ruim, mas foi decisiva na derrota paulista para o Grêmio. Prejudicado também por um jogo fraco de Rojas, o lateral levou um baile no mano a mano com Everton nos dois gols dos gaúchos e falhou na marcação. Tem como piorar? Tem. Levou o terceiro cartão amarelo e desfalca o time de Aguirre contra o Cruzeiro no domingo, no Mineirão.

Militão terá dores de cabeça graças a Everton
Militão terá dores de cabeça graças a Everton

Foto: Raul Pereira/Fotoarena / Estadão Conteúdo

Guerrero e Bruno Henrique destoam na Vila

A má fase de Guerrero parece não ter fim. O camisa 9 peruano não incomodou a defesa santista em nenhum momento, atrapalhou contra-ataques flamenguistas e se mostrou em péssima fase técnica e física. Para compensar, do outro lado Bruno Henrique teve noite bastante infeliz também. Errou quase tudo que tentou, desperdiçando boas descidas do Santos e ainda prejudicou na parte defensiva ao fazer gol contra bizarro logo no início.

D’Alessandro é expulso sem nem transpirar

E o que dizer da atuação de D’Alessandro? O meia argentino voltava de lesão e começou a partida entre os reservas. Acionada no segundo tempo para tentar reverter os 2 a 0 do América-MG, foi expulso após somente 9 minutos em campo, após se envolver em confusão com Wesley, do time mineiro.

D'Alessandro nem deu tempo de aquecer em campo
D’Alessandro nem deu tempo de aquecer em campo

Foto: Fernando Moreno / Futura Press

Cadê o Thiago Neves?

Além de Guerrero, outro centroavante que decepcionou foi Barcos, do Cruzeiro. O argentino foi bastante participativo, mas desperdiçou pelo menos três oportunidades frente a frente com Cássio. No entanto, no lado mineiro, ninguém foi pior que Thiago Neves: sumido em campo, pouco inspirado quando pegou na bola e substituído no segundo tempo.

Scarpa some em meio às vaias

As vaias da torcida do Flu no reencontro não parecem ter feito bem a Scarpa. O meia parou na boa marcação de Ayrton e teve noite bastante apagada no Maracanã. Outro palmeirense que decepcionou foi Dudu, que abusou dos erros o jogo todo e ainda desperdiçou chance claríssima logo no início.

Scarpa sofreu com a recepção de tricolores e sua má atuação
Scarpa sofreu com a recepção de tricolores e sua má atuação

Foto: Luciano Belford/Agif / Estadão Conteúdo

Frases polêmicas da rodada

“É algo que nos preocupa. Contra o Flamengo tivemos o Araruna expulso injustamente. Diante do Corinthians sofremos um gol de mão. Sorte que a gente já estava com 3 a 0. São detalhes que preocupam. E o critério dos cartões nos incomodou. Vale pensar em todos esses critérios porque no próximo jogo o árbitro também é carioca. As pessoas responsáveis têm de pensar nesses aspectos” – Raí, diretor de futebol do São Paulo, sobre a arbitragem – ele reclama de ter os jogos do time apitados por cariocas, sendo que o clube paulista disputa a liderança com o Flamengo

“É muito difícil falar de arbitragem. Às vezes, pega uma suspensão aqui por alguma coisa que falamos. Mas árbitro do Rio contra nós, sabendo que o Flamengo está na frente, é difícil pra caramba” – Hudson, do São Paulo, sobre o mesmo assunto

“Estou com uma sede de cerveja que vocês nem imaginam” – Serginho Chulapa, auxiliar e técnico interino do Santos, encerrando entrevista coletiva em grande estilo

Chulapa terminou o jogo "com sede"
Chulapa terminou o jogo “com sede”

Foto: Marco Silva/Futura Press / Estadão Conteúdo

“O vestiário do Grêmio é bom demais e isso incomoda muita gente. Muita gente faz tempestade com um pingo d’água. Eu fiquei chateado e achei que peguei pesado. Eu pedi desculpas. Ninguém sabia disso. Mas não significa que eu não vá cobrar” – Renato Gaúcho, técnico do Grêmio, sobre a cobrança pública que fez ao elenco após a rodada passada

“Me senti privilegiado por ouvir vaias e gritos. Sinal de que tive certa importância, mas vida que segue” – Gustavo Scarpa, do Palmeiras, sobre o reencontro com o Fluminense e as vaias recebidas

Felipe Melo se esquentou (de novo) com repórter
Felipe Melo se esquentou (de novo) com repórter

Foto: Luciano Belford/Agif / Estadão Conteúdo

“É meu amigo, mas quem sai pelas portas dos fundos merece ser vaiado” – Marcos Junior, do Fluminense, sobre as vaias a ex-companheiro Scarpa

“Você está brincando que vai fazer uma pergunta dessas para mim no intervalo de um jogo? Você quer criar alguma polêmica? Eu não sei se foi falta ou não. Vê na televisão” – Felipe Melo, do Palmeiras, ao repórter William Kayser, do Premiere, ao ser questionado sobre uma possível falha defensiva no gol do Fluminense

Fonte: terra.com.br