Estado de saúde de presidente da Coreia Norte é incerto

0
191

O estado de saúde do líder norte-coreano Kim Jong-un ainda é cercado de dúvidas e especulações. De acordo com a mídia sul-coreana, o ditador teria passado por um procedimento cardiovascular no início de abril e ainda estaria se recuperando.
As suspeitas sobre uma possível piora da sua saúde começaram na semana passada, quando Kim faltou a um dos mais importantes feriados nacionais da Coreia do Norte e ganhou força após a publicação da rede de televisão norte-americana CNN na última segunda, 20, de que ele estaria em “estado grave”.
Até então, a notícia tem repercutido mais no Ocidente. Com regime fechado, a Coreia do Norte não costuma divulgar boletins com informações sobre o estado de saúde de Kim nem reportou qualquer mudança em seu regime. A Coreia do Sul, por sua vez, também não disse ver qualquer mudança no país vizinho.
“Não há sinais incomuns identificados dentro da Coreia do Norte. Não há nada que possamos confirmar com relação ao alegado problema de saúde do presidente Kim”, declararam as autoridades do sul-coreanas.
A China, país que mantém boas relações com o regime norte-coreano, também não se pronunciou.
Apesar de não falar em estado de saúde, a imprensa oficial norte-coreana, KCNA, tem divulgado notícias que envolvem o líder com normalidade. Segundo a publicação, na última segunda, além de saudações a “trabalhadores exemplares” do país, Kim teria enviado uma carta ao presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, parabenizando-o pelo seu aniversário.
Essa não é a primeira vez que o polêmico líder da Coreia do Norte some por diversos dias sem prestar satisfações. Em 2014, Kim ficou 40 sem aparecer publicamente ou em nenhum veículo oficial e o motivo é desconhecido até hoje. Kim havia comparecido a uma apresentação musical no dia 3 de setembro de 2014, acompanhado por sua esposa Ri Sol Ju. No final daquele mês, faltou uma reunião da legislatura da Coreia do Norte e seu assento foi filmado vazio. Como agora, logo surgiram rumores sobre seu estado de saúde. O ditador só voltou a aparecer no dia 14 de outubro daquele ano, andando com a ajuda de uma bengala. Nenhuma explicação foi dada pelo Estado norte-coreano.
Fonte: UOL