Reféns são libertados após 9 horas de negociação com a polícia em presídio de Marabá, no sudeste do Pará

0
56

A ação começou por volta das 7h da manhã quando um grupo de pelo menos três homens armados tentou dar cobertura para que os presos fugissem do local.
Agentes penitenciários são feitos reféns em presídio do Pará

Três funcionários do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes (CRAMA), em Marabá, no sudeste do Pará, que estavam sendo feitos de refém por detentos foram libertados após nove horas de negociação com a polícia, neste sábado (4). Ninguém ficou ferido.

A liberação dos reféns aconteceu às 16h, após a negociação entre o juiz de plantão da vara de Execuções Penais de Marabá com os internos do presídio.

De acordo com a Polícia Militar, a ação começou por volta das 7h da manhã quando um grupo de pelo menos três homens armados tentou dar cobertura para que os presos fugissem do local. A polícia conseguiu impedir a fuga, mas os presos fizeram três funcionários do presídio reféns. Um detento ficou ferido ao tentar fugir. Ele foi recapturado recebeu atendimento e passa bem.

De acordo com os presos, a tentativa de fuga e motim aconteceram devido as péssimas condições do Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes e a superlotação. Eles também denunciaram que estariam passando fome e que as visitas teriam sido suspensas.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que os três agentes penitenciários feitos reféns na manhã deste Sábado (04), no Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes, em Marabá foram liberados e estão bem. A Seap não se posicionou sobre as denúncias feitas pelos detentos sobre as péssimas condições do presídio, a superlotação, a falta de comida e as visitas suspensas.

 Presídio de Marabá — Foto: Reprodução / TV Libera — Foto: Reprodução / TV Liberal

Por G1 PA — Belém