Carne bovina aumenta de preço e começa a faltar em Belém

0
368

 

Os consumidores de carne bovina no Brasil, em especial do Pará, vivem um momento delicado em virtude de que, nos últimos meses, o déficit da proteína na China, ocasionado pela Gripe Suína, causou um aumento e abertura das exportações em nível mundial, diminuindo o que fica no país. A informação é ratificada pela Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

Nesta quarta-feira (27), um grupo supermercadistas do Pará divulgou um comunicado, em algumas de suas lojas, informando sobre a diminuição da oferta do produto. “Estamos passando por um momento complicado com relação ao abastecimento de carne. Os preços dispararam e o produto está em falta. Frigoríficos alegam que a exportação do boi em pé e da carne ‘in natura’ para outros países faz o preço subir diariamente. O problema não é só conosco, nem há esperança de voltar à normalidade a curto prazo”.

A rede encerra dizendo ainda que “Só resta a todos substituir a carne bovina por outro tipo de alimento”. O banner com a informação, viralizou nas redes sociais na noite de hoje.

“O Brasil registrou números recordes nas exportações de carne bovina, fato que se refletiu em um expressivo aumento na arroba do boi, ocasionando novas tabelas de preço e afetando, assim, toda a cadeia consumidora, chegando até o cliente final que já sente o impacto originado no campo”, informou a entidade em nota veiculada nacionalmente.

A ABRAS informou que tem acompanhado todas as questões que envolvem o abastecimento do mercado interno, “que apesar de indicarem que não há risco para falta de carne bovina ao consumidor brasileiro, o valor do produto in natura, assim como já anunciado recentemente pela mídia, chegou ao varejo”. “Em menos de três meses, o aumento do valor da arroba elevou alguns cortes de bovino, exemplos: o contrafilé a índices acima de 50%, coxão mole 46% no preço de custo dos produtos, que, consequentemente, foram repassados ao preço final aos consumidores”.

De acordo com a ABRAS, pesquisa da BoiSCOT Consultoria indica que o atual preço da arroba bateu recordes e chega a ser negociado por R$ 230, registrando um aumento em 29 das 32 praças do Estado de São Paulo pesquisadas pela entidade. A consultoria informou que o mercado está agitado com cotações variando com altas médias de 8,9% por semana.

“A ABRAS está empenhada em encontrar soluções para um cenário de livre comércio e demanda por parte dos frigoríficos e distribuidores. Entre elas, recomenda aos seus associados, com intenção de atender o consumidor nesse momento, atenção total a logística e manuseio, evitando perdas no processo de transformação e investir esforços em ofertar outras proteínas, como suínos, pescados, ovos e aves como opções à carne bovina. Oferecendo ao consumidor a melhor opção para aquele momento de compra”, é enfatizado na nota da entidade

Dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), como repassou a ABRAS, indicam que o volume exportado em outubro foi de 185,5 mil toneladas, um crescimento de 15% em relação ao mesmo período do ano passado. Em relação ao mês anterior, o aumento reportado foi de quase 62%, elevando a receita US$ 808,4 milhões, 30% acima do mesmo mês em 2018.