Polícia paraense apreende barco vindo do Suriname com cerca de R$ 1 milhão em produtos falsificados

0
351

A Polícia Civil apreendeu cerca de R$ 1 milhão em produtos falsificados vindos do Suriname na manhã desta quarta-feira (06), transportados em uma embarcação que foi abordada, em alto-mar, quando navegava às proximidades da Ilha de Mosqueiro, distrito de Belém. Ao todo, eram duzentos volumes de produtos entre óculos, confecções e acessórios para telefone celular. O comandante e piloto do barco – Raimundo Adinamar Rodrigues Cordeiro, 50 anos – foi autuado em flagrante por descaminho e crime contra a lei de marcas e patentes (falsificação).

A ação policial foi realizada por policiais civis da Divisão de Investigações e Operações Especiais (DIOE) da Polícia Civil, com apoio de policiais civis da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE). O acusado e os produtos apreendidos foram levados para a DIOE, onde foi lavrado o flagrante. Segundo o delegado Neyvaldo Silva, diretor da DIOE, na noite de ontem (05), uma equipe policial recebeu informações que levaram a abordagem da embarcação.

O delegado explica que o barco seguiu até o Suriname, e no retorno ao Pará, os produtos falsificados foram transportados. “Nosso objetivo é impedir a entrada de produtos falsificados no comércio de Belém”, destaca o diretor da DIOE. Conforme o policial civil, a embarcação é de Abaetetuba, onde reside o comandante.

Os policiais civis comandados pelo delegado Benedito Magno Costa, usaram uma lancha para chegar até o barco. Além do comandante, estavam no barco integrantes da tripulação os quais foram ouvidos e liberados, pois ficou constatado que Raimundo era o responsável pelo transporte da mercadoria ilegal, que está apreendida. O comandante já está recolhido no Sistema Penitenciário à disposição da Justiça para passar por audiência de custódia.

Essa foi a segunda apreensão de produtos falsificados realizada pela equipe da DIOE em menos de cinco dias. Na última sexta-feira, policiais civis da Decon (Delegacia do Consumidor), ligada à DIOE, em investigação realizada com informações do Disque Denúncia, aprenderam produtos usados em limpeza falsificados em uma residência localizada no bairro da Cabanagem, em Belém. No local, ninguém foi encontrado. Um inquérito policial foi instaurado para apurar o fato. O material foi apreendido e encaminhado para perícia.

 

Fonte: O Liberal