Família de funcionário de banco é mantida refém por toda madrugada em Parauapebas

0
422

Bando ameaçou a família do homem, usando tortura psicológica para conseguir dinheiro, mas ação foi frustrada pela Polícia

Um grupo de criminosos fez um funcionário do Banco do Brasil e sua família como reféns para tentar roubar centenas de milhares de reais da agência, em uma modalidade de crime conhecida como “sapatinho”, muito usada por quadrilhas especializadas. O homem, assim como sua esposa e enteado, viveram uma madrugada de terror sob a tutela dos bandidos, que só não tiveram sucesso devido à ação da Polícia, que conseguiu intervir e frustrar os planos, bem como garantir a seguranças das vítimas.

Segundo informações da delegacia, o funcionário disse que na noite de quinta-feira (31), dois homens entraram em sua casa se esgueirando pelo portão no momento que ele chegava de carro. Com armas em punho, eles teriam abordado o servidor, levando ele até seu quarto. Eles também renderam a esposa e o enteado do funcionário, mantendo eles no quarto. Segundo o homem, foram cinco bandidos na ação, mantendo a família sob a mira das armas até o nascer do dia. Os bandidos deram instruções sobre como ele iria agir para tirar dinheiro agência que ele trabalha e levar para a quadrilha. De acordo com a vítima, eles exigiram o valor de 800 mil reais.

Ainda de acordo com o servidor, ele foi instruído a não ligar para a polícia e não falar para ninguém sobre o que estava acontecendo, pois os bandidos diziam que se ele o fizesse, sua família “iria sofrer”, além de diversos outros mecanismos de tortura psicológica, quase todos ameaçando a vida da esposa e do enteado dele.

Os bandidos disseram que, quando ele saísse do banco com a bolsa cheia de dinheiro, ele devia seguir até seu carro, pois já haveria gente ali esperando por ele. Quando a agência abriu, o plano foi posto em ação, e o funcionário entrou no banco que fica na rodovia PA-275, bairro Cidade Nova, pouco antes das 10h. Contudo, pouco depois de entrar, ele foi surpreendido e ficou aliviado pela chegada de policiais civis e militares na agência.

Os policiais deram apoio ao funcionário e tentaram acalmá-lo enquanto buscavam sua família, com a esposa e o enteado dele sendo encontrados saindo de um matagal nas margens de uma estrada por volta de meio-dia. Agora, o caso é investigado pela Polícia Civil, que irá usar de todos os recursos disponíveis para achar o grupo criminoso. Até o final do dia, nenhum suspeito havia sido preso.

Fonte: ORM