Operação conjunta combate garimpo ilegal em terras indígenas em São Félix do Xingu

0
104

A operação Azougue foi deflagrada na sexta-feira, 25, em combate à crimes ambientais e extração ilegal de minérios em um garimpo de ouro situado no interior da Terra Indígena Apyterewa, município de São Félix do Xingu, no sudeste paraense. A ação foi da Polícia Federal, com apoio de servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e de policiais militares.

O garimpo de nome “Pista 2”, que possui aproximadamente um milhão metros quadrados de extensão, situado no meio da Floresta Amazônica, teve suas atividades paralisadas e máquinas inutilizadas.

Foram inutilizadas sete pás carregadeiras, um trator de rodas e dez conjuntos de motores-bombas, principais instrumentos utilizados na atividade ilícita, além de diversos outros equipamentos menores.

Mercúrio, algumas gramas de ouro, munições de diversos calibres e outros apetrechos usados na atividade foram apreendidos. A operação contou com o acompanhamento do procurador da República de Redenção, que junto com outros quatro servidores do Ministério Público Federal (MPF), constataram o impacto ambiental causado pela atividade ilegal.

A Polícia Federal estima que o prejuízo aos infratores ultrapasse os R$ 2 milhões. Ninguém foi preso, pois com a aproximação da polícia os criminosos fugiram para o interior da floresta. A partir dos dados colhidos, como documentos de identidade, cadernos de anotações e outros documentos deixados para trás na fuga, foi possível identificar diversos trabalhadores e o dono da atividade mineraria ilegal, que serão responsabilizados por crimes ambientais e de extração ilegal de minérios em inquérito policial.

A partir dos dados colhidos pela perícia será possível estimar o valor do dano ambiental e cobrar do infrator o pagamento pela recuperação da área degradada.

Participaram da operação oito policiais federais de Redenção, seis policiais militares, três servidores do Ibama e cinco integrantes do MPF de Redenção.

Fonte: Polícia Federal