Homem é linchado até a morte após matar cadeirante e ferir outras quatro pessoas em Belém

0
218

Reginaldo Brígida Belém, de 31 anos, matou uma pessoa e feriu outras quatro usando um gargalo de garrafa, após ter um surto psicótico enquanto consumia bebida alcoólica. Após cometer os crimes, foi espancado até a morte, na tarde deste domingo (11), Dia dos Pais, na rua Cupuaçu, no bairro da Pratinha, em Belém.

De acordo com a Polícia Militar (PM), testemunhas afirmaram que os crimes aconteceram por volta de meio dia, quando os moradores ouviram os gritos das vítimas, que foram atacadas aleatoriamente.

O agressor estava bebendo na calçada de uma casa, localizada na Rua São Vicente de Paula, acompanhado de Ivic Gemac Duarte, de 30 anos, quando quebrou uma garrafa de vidro e golpeou o colega no pescoço. Após a agressão, ainda segundo testemunhas, Reginaldo saiu da casa e teria golpeado um cachorro até a morte, o que não foi confirmado pela PM.

Depois, Reginaldo seguiu pela rua 25 de agosto, onde encontrou Clemi da Silva Trindade caminhando e o agrediu com socos, chutes e golpes de garrafa. Então, o agressor entrou na rua Cupuaçu e avistou a casa da família Pereira, que estava com o portão aberto.

Cadeirante foi golpeada até a morte

Após invadir a casa, Reginaldo golpeou o morador Euler Santos e partiu para cima de sua afilhada, Conceição de Jesus Pereira Gonçalves, de 38 anos. Cadeirante, a vítima não teve chances de se defender e acabou sofrendo vários ataques com o objeto cortante, morrendo na hora.

A mãe da vítima, Maria Raimunda Pereira, de 55 anos, esposa de Euler, também foi atacada, levou socos e chutes, mas conseguiu correr e se trancar em um quarto, junto com a neta.

De acordo com o perito do Instituto Médico Legal (IML), Ivanildo Rodrigues, a vítima Conceição de Jesus Pereira Gonçalves foi imobilizada pelo agressor, e logo depois foi degolada, com um único golpe extenso e muito profundo na região do pescoço. “Infelizmente, ela (a vítima) não teve nenhuma possibilidade de se defender”, disse o perito.

Moradores da vizinhança afirmaram que na casa da família moram mais de 10 crianças, entre netos, filhos e sobrinhos. Por sorte, no momento do ataque, todas as crianças estavam em uma parte separada da casa, onde o criminoso não chegou a invadir.

Agressor foi linchado por populares

Para interromper as agressões, moradores da vizinhança revoltados entraram na casa e espancaram o agressor até a morte.

Segundo o IML, o corpo de Reginaldo foi encontrado com várias lesões na região posterior da cabeça, causadas por objetos pesados, como pedaços de madeira e martelo, provavelmente feitas pelos moradores enquanto ele ainda atacava outra pessoa.

Os corpos de Reginaldo Belém e Conceição Pereira foram removidos por volta das 16 horas.

Os feridos foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados ao Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua.

Ivic Gemac Duarte encontra-se em estado grave, com perfurações profundas na área do pescoço, e não há informações sobre o estado de saúde das outras vítimas.

Crime inesperado

Uma testemunha, que não quis se identificar, disse que estudou com Reginaldo Brígida Belém quando era criança, e que ele era uma pessoa calma e tranquila, que nunca havia se envolvido em nenhuma briga.

“Fiquei muito surpresa, foi um choque enorme, porque ele era uma ótima pessoa”, disse a testemunha. “Sinceramente, eu não sei explicar como isso aconteceu. Só pode ter sido um surto”, opinou.

A testemunha disse ainda que Reginaldo trabalhava no Ver-o-Peso, com venda de peixes.

Consultada, a PM confirmou que Reginaldo não possuía antecedentes criminais e que era morador da passagem Bianca, também na Pratinha.

Fonte:O Liberal