Deputado José Priante é investigado por esquema de corrupção envolvendo mineradoras

0
538

José Priante está sendo investigado por possível envolvimento num esquema de corrupção no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) no Pará. O parlamentar teria indicado servidores que foram presos acusados de cobrar propina para favorecer mineradoras do Estado. O inquérito está em andamento no Supremo Tribunal Federal.

Em 2015 a superintendência do DNPM no estado foi alvo da operação Grand Canyon, com participação do Ministério Público Federal, da Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União(CGU), que descobriu um esquema de corrupção envolvendo servidores graduados do órgão em Belém. Foram encontradas irregularidades em 67 processos minerários. De acordo com as investigações, o esquema funcionava da seguinte maneira: empresas que já tinham autorização para pesquisar uma área não conseguiram renovar o pedido para continuar o trabalho. Funcionários do DNPM manobravam para impedir a renovação e liberavam as mesmas áreas já mapeadas para concorrentes.

Em depoimento, funcionário do órgão diz que medidas legais eram tomadas pelos superiores para direcionar essas áreas aos interessados. Eles também são acusados de cobrar propina para liberar processos de mineração.

No ano de 2014, um funcionário do DNPM pediu 30 mil reais para aprovar uma autorização. O servidor escreveu o pedido em um papel, com o seguinte texto: “para emitir a licença precisa de um valor político”.  A justificativa que era ano de eleição.

Na operação Grand Canyon foram presos o então superintendente do DNPM no Pará Thiago Marques de Almeida, o procurador do órgão Ricardo Araújo Lameira e o ex-chefe do departamento João Bosco Braga. Ainda de acordo com as investigações, todos eles haviam sido indicados aos cargos pelo deputado federal José Priante.

O aprofundamento das investigações levou ao surgimento do nome do deputado federal José priante como envolvido em esquema de corrupção no DNPM e como ele tem prerrogativa de foro, a Justiça Federal encaminhou a denúncia para o Supremo Tribunal Federal onde foi aberto inquérito para apurar a participação do parlamentar.

Fonte: Portal R7