Após mais de uma semana de buscas, polícia captura autor da chacina em Belterra

0
1550

Mauro Barrozo foi localizado às margens da BR-163 em companhia de sua mãe e de um filho de 14 anos.

Após mais de uma semana de buscas na região de Mojuí dos Campos e Belterra, no oeste do Pará, a polícia capturou na madrugada desta quinta-feira (6), o autor da chacina que vitimou quatro pessoas na zona rural de Belterra, no dia 27 de maio. Mauro Barrozo, 40 anos, estava caminhando às margens da BR-163 em companhia de sua mãe e de um filho de 14 anos, no bairro Matinha, em Santarém, quando foi localizado pela polícia.

Segundo o superintendente regional da Polícia Civil do Médio e Baixo Amazonas, delegado Jamil Farias Casseb, foi dado voz de prisão ao Mauro e ele foi conduzido ainda na madrugada para a Seccional Urbana. “Ele está lá totalmente transtornado, não fala coisa com coisa, não consegue coordenar as ideias. Nós precisamos ter calma nesse momento para tomar o depoimento dele, vamos chamar outros colegas. A mãe dele será interrogada também. O filho vai ter uma escuta especializada, a delegada da Deaca já está vindo para cá também”, explicou.

Ainda de acordo com Jamil Casseb, a polícia agora vai buscar a real motivação do crime, a trajetória de Mauro Barrozo desde o momento do fato até a prisão.

Tiro que matou filho de autor de chacina em Belterra teria sido dado pelo irmão, acidentalmente

O tiro que matou o menino Manoel Barrozo, 10 anos, o “Manoelzinho” pode ter sido disparado acidentalmente pelo irmão da vítima, Daniel Barrozo, de 14 anos.

De acordo com o delegado Jamil Farias Casseb, após essa segunda versão contada por Mauro, o adolescente Daniel e sua avó Maria ao serem questionados, separadamente, sobre a morte de “Manoelzinho”, confirmaram a história do tiro acidental.

“É uma história triste, mas faz sentido. O Daniel passou por uma escuta especializada e confirmou que o tiro foi acidental e que ele estava armando a espingarda quando atingiu o irmão. Quando Mauro soube da morte do filho, juntou a rixa antiga que havia com a família, a separação da mulher e outras questões dele, que culminaram nas três mortes na comunidade Paca. A arma vai ser periciada, bem como os cartuchos apreendidos, vamos avaliar as perícias e tudo será esclarecido”, disse o delegado.