Atos pela educação tomam as ruas e marcam instituições de ensino e pesquisa de Belém, Marabá e Altamira

0
1341

Em apoio ao 30 de maio, mobilizações em defesa da educação iniciaram às 5 horas da manhã na capital paraense, e envolvem também os campi no interior

Os atos e paralisações convocadas na capital paraense, em apoio ao 30 de maio, o Segundo Dia Nacional em Defesa da Educação, iniciaram bem antes da caminhada marcada para a tarde desta quinta-feira (30) pelas ruas de Belém. Oito horas antes da concentração convocada para ocorrer às 16h na Praça da República, pelo menos seis instituições de ensino superior e pesquisa já amanheceram desde 8h da manhã com portões fechados e aulas suspensas – ou tiveram atividades programadas com paralisações parciais, para adesões de servidores, a partir das 13h de hoje, aos atos em defesa da pequisa e educação e contra a Reforma da Previdência.

Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal do Sul e Sudeste Pará (Unifesspa), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), Museu Paraense Emílio Goedi (MPEG), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e Núcleo Pedagógico Integrado da UFPA (NPI) tiveram entradas fechadas ou reduziram atividades antes da caminhada desta tarde – que percorrerá quatro quilômetros, pelas  avenidas Presidente Vargas e Nazaré, até o Mercado de São Brás.