Sampaoli fala sobre pressão na Argentina: ‘Te fazem sentir como um delinquente’

0
175

São Petersburgo – O técnico da seleção da Argentina, Jorge Sampaoli, falou nesta segunda-feira sobre o jogo de vida ou morte contra a Nigéria nesta terça-feira, em São Petersburgo, pela terceira rodada do grupo D da Copa do Mundo. Última colocada com apenas um ponto ganho, a equipe portenha precisa vencer para sonhar com uma vaga na próxima fase. Para não depender de critérios de desempate, ainda será necessário torcer que a Islândia não vença a Croácia, também nesta terça-feira, às 15h (de Brasília).

– Temos que ter uma partida de muito coração, estrutura de fortaleza, para estabelecer a segurança para arrancar no Mundial. Vamos aproveitar essa necessidade de ganhar. Temos que ganhar cinco partidas para chegar até a final. Amanhã será a primeira – bancou.

Sampaoli foi confrontado sobre o ambiente que cerca a seleção nesse momento difícil e se colocou em uma bolha. Nos últimos dias, foi noticiado na Argentina que o treinador perdeu o comando da equipe e se deixou levar pela preferência dos medalhões próximos a Messi, como Mascherano, para definir o time. Alegando não entrar nos debates do mundo virtual, o técnico negou os rumores e falou sobre a sensação de ser colocado fora dos planos durante a fase de classificação da Copa.

– O mundo virtual não me causa nada. Não estou nesse mundo. Mas muita gente está parte desse mundo e não é simples separar. Temos que nos meter no mundo virtual para dizer que aqui há uma realidade que nos compete. Que tem a ver com a realidade da Argentina, que se complicou, e temos que trabalhar. De maneira real e com muito sentimento. Estou convencido que amanhã se escreve uma nova história. Há muitos argumentos para acreditar que vamos classificar – bradou o treinador, que em seguida fez um desabafo:

– Não é simples para mim, te fazem se sentir como um delinquente no mundo virtual, ou uma pessoa descartável, imediatamente após a derrota. Se fosse pensar no mundo virtual deixaria essa profissão. Sou treinador, tenho ideia clara do que quero e estou lutando pelo sucesso disso – complementou o comandante argentino.

O empate com a Islândia e a derrota categórica para a Croácia mergulharam o país em um verdadeiro tango. Que Sampaoli ainda se recusa a dançar. Os questionamentos sobre as funções de Messi em campo também ganharam eco, e Sampaoli disse que um dos objetivos é que seu camisa 10 pegue mais na bola.

Mais cedo, a Argentina realizou o último treino antes de chegar à cidade da partida. O treinador sinalizou com mudanças na equipe. De volta ao esquema 4-4-2, com Messi adiantado, Sampaoli trouxe Rojo para atuar na segunda linha de quatro, e Di Maria no ataque ao lado de Higuain. Sampaoli não confirmou o time.

– Tenho a equipe na cabeça, mas não vou revelar. São algumas variáveis. Prefiro não comunicar – esclareceu Sampaoli.

 

Fonte: https://extra.globo.com/esporte/copa-2018/sampaoli-fala-sobre-pressao-na-argentina-te-fazem-sentir-como-um-delinquente-22818393.html